NOTÍCIAS


Você não precisa de carteirinha de igreja para servir a Deus


“E ele designou alguns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres, com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado”. (Efésios 4.11-12)

Vamos ao contexto

Será que Paulo estava falando da hierarquia dentro da Igreja? Observe que ele citou 5 funções que “preparam os santos para a obra do ministério” e com um objetivo bem definido — para que o corpo de Cristo seja edificado.

Ou seja, para que haja Igreja ou ainda para que ela seja edificada é necessário que pessoas sejam designadas para isso. E onde estão essas pessoas? Todas dentro das igrejas com seus crachás e suas carteirinhas?

Vale lembrar que a Igreja no século 1 não era dividida em denominações e não se limitava a prédios feitos por mãos humanas. A Igreja era formada por pessoas que se reuniam nas casas, debaixo das árvores, em frente ao mar ou perto das montanhas.

Aquele que se passava a seguir Jesus era como se fosse um tijolinho que se juntava aos outros que estavam formando a Igreja. Veja que interessante o que está escrito no livro de Efésios:

“Portanto, vocês já não são estrangeiros nem forasteiros, mas concidadãos dos santos e membros da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, tendo Jesus Cristo como pedra angular, no qual todo o edifício é ajustado e cresce para tornar-se um santuário santo no Senhor. Nele vocês também estão sendo juntamente edificados, para se tornarem morada de Deus por seu Espírito”. (Efésios 2.19-22)

Aqui fica claro que a Igreja somos nós. Somos o edifício de Deus!

 

Qual a sua função no corpo de Cristo?

De acordo com o nosso texto de estudo, o corpo de Cristo é formado por apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres. Será que 1% é igreja e os demais são simplesmente membros?

 

Não é o que nos diz a Palavra. Esse é o nosso conceito humano na atualidade. A carta de Paulo aos Efésios foi escrita para ser lida na igreja, para os membros e não exclusivamente para a liderança.

As funções citadas no texto são arquétipos da humanidade, ou seja, são modelos e tipos determinados por Deus, conforme explica Douglas Gonçalves do JesusCopy, em sua mentoria sobre liderança.

Ele destaca que todas as pessoas são capazes de desempenhar pelo menos uma dessas funções.

Sobre os apóstolos

Apóstolos são pessoas visionárias, empreendedoras e sonhadoras que podem ser usadas nos mais diversos contextos. Elas gostam de transformar, aceitam desafios e colocam ideias em prática

A Bíblia mostra que os apóstolos exerciam o ministério em campos distantes, longe da igreja local. Eles seguiram em frente para dar início a novos trabalhos. Apóstolos são os desbravadores, aqueles que abrem caminhos e iniciam novas obras.

São os administradores, comerciantes, negociantes, diplomatas, representantes de nações — aqueles que fazem acordos internacionais e conduzem os relacionamentos entre as lideranças.

No grego a palavra “Apostellein“, ou seja, “Apóstolo”, significa aquele que é enviado, “mensageiro ou embaixador”. Apóstolo é aquele que representa quem o enviou.

Sobre os profetas

São pessoas que buscam alinhamento entre o céu e a terra com justiça e diligência. Muitos pensam que os profetas são destinados a “ver o futuro”, mas a Bíblia mostra que os profetas como Isaías, Jeremias e Ezequiel, por exemplo, tinham como objetivo fazer com que as pessoas voltassem para o caminho de Deus.

Eles diziam coisas do tipo: “façam o que é certo” ou “voltem a cumprir a lei de Deus”. Os profetas são os juízes, advogados, desembargadores ou policiais. São pessoas que sentem uma chama queimar por dentro clamando por justiça, por alinhamento e para o que é correto.

No sentido primário em que a Bíblia usa a palavra, o profeta, do hebraico “nabí”, era a pessoa que falava o que vinha da boca do Senhor.  Não se tratava de “previsão de acontecimentos”. A palavra grega “profetes” significa “aquele que expõe“ ou que “fala sobre certo assunto vindo do próprio Deus”.

Os profetas estão sempre atentos ao que Deus está falando à humanidade. Eles ouvem e depois revelam às pessoas. Eles têm o dom de enxergar que as pessoas nem costumam ver, como os artistas, por exemplo. Eles ouvem o que as pessoas não escutam, como os músicos e os maestros.

Sobre os evangelistas

São pessoas com enorme capacidade de comunicação com as outras. Evangelistas influenciam pelas palavras e discursos. São aqueles com facilidade de recrutar as pessoas para uma missão e são os ativadores de dons.

Publicitários, marqueteiros, influenciadores, youtubers, apresentadores de TV e jornalistas. Evangelistas são vendedores de sonhos e conseguem arrastar multidões.

Aqueles que trazem boas notícias e compartilham a mensagem prontamente são os evangelistas. Eles adoram passar um tempo com não-cristãos e, frequentemente, lembram a todos que ainda existem pessoas a serem resgatadas no mundo.

São os pescadores de homens, como Jesus classificou. Os evangelistas também gostam de discutir e compartilhar seus pontos de vista. Aonde quer que vão, parecem levar outros à discussão sobre Jesus. Eles são apaixonados por compartilhar o Evangelho e não são tímidos quanto à sua fé.

Sobre os pastores

Pastores são pessoas que cuidam de outras pessoas. São aqueles que se importam com o crescimento de cada um. São como os jardineiros que se alegram e contemplam a beleza do jardim, sem querer nada em troca.

Os pastores são aqueles que amam a comunidade. São os médicos, enfermeiros, psicólogos, dentistas, fisioterapeutas e assistentes sociais. Eles querem cuidar, curar e promover crescimento. São os cuidadores nos asilos ou nos orfanatos.

Pessoas assim, destinadas a cuidar de vidas possuem um enorme coração. São aqueles que vêem as necessidades dos outros e oferecem conforto. E passam a maior parte do tempo com outros cristãos. Eles podem facilmente ter empatia e costumam ser pacientes com os necessitados.

Pastores desfrutam de bate-papos individuais e demonstram hospitalidade. Eles ficam sobrecarregados com os problemas dos outros e têm um talento especial para falar a verdade em amor. Eles também são bons ouvintes.

Sobre os mestres

São as pessoas apaixonadas por transmitir o que aprenderam. Professores, escritores, pesquisadores, acadêmicos e cientistas das mais diversas áreas. Normalmente, os mestres facilitam o entendimento das pessoas, dão exemplos e usam metáforas para tornar o aprendizado mais simples.

Mestres encaminham pessoas para o caminho de Deus através da Palavra, das explicações e dos exemplos. Eles gostam de expor a verdade e procuram maneiras diferentes de explicar e esclarecer o máximo que podem.

(Foto: Pixabay)

Resumindo

Temos nas 5 funções a essência de Jesus. Ele é o Apóstolo dos apóstolos, Profeta dos profetas, Pastor dos pastores, Mestre dos mestres e o Grande Evangelista. E em nós foi derramada a essência de Cristo, a cada um conforme a missão que deve cumprir

Dessa maneira, quando estamos todos juntos formamos o corpo de Cristo. É por isso que precisamos estar unidos apesar das nossas diferenças, porque essa é a única forma de sermos uma Igreja completa.

A Igreja é formada por pessoas com funções diferenciadas, não necessariamente em cima dos púlpitos, mas também nos bancos e também fora das igrejas institucionais.

Unidade dos ministérios

Nem todos são apóstolos, mas todos são chamados para implantar o Reino de Deus em novos lugares. Nem todos são profetas, mas todos são chamados para ouvir a voz do Pai.

Nem todos são evangelistas, mas todos são chamados para trazer novas pessoas para o Reino. Nem todos são pastores, mas todos são chamados a cuidar. Nem todos são mestres, mas todos são chamados para apresentar as Escrituras à humanidade.

“E a cada um de nós foi concedida a graça, conforme a medida repartida por Cristo.” (Efésios 4.7)

Algo diferente foi dado a cada um de nós, e Paulo estava falando para o povo do Oriente Médio. Para aquela época e naquela região era muito comum a pessoa não ter uma identidade.

As pessoas costumavam ser o que a família era e representava para a sociedade. Alguém que nascia numa família de agricultores, possivelmente jamais seria um médico, por exemplo.

Paulo estava mostrando que havia algo de específico para cada pessoa, além do que elas estavam acostumadas a ser. Havia uma promessa de que a “graça seria derramada” sobre suas vidas.

“Por isso é que foi dito: Quando ele subiu em triunfo às alturas, levou cativo muitos prisioneiros, e deu dons aos homens.” (Efésios 4.8)

Os dons foram dados às pessoas com um objetivo bem definido, conforme mostram as Escrituras: “Com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado” (Efésios 4.12)

Quer dizer que o dom é dado para cada um de nós, para servirmos às pessoas. E quando os dons estão em ação temos como resultado o “conhecimento do Filho de Deus e a maturidade” conforme Efésios 4.13.

Se uma igreja não é madura é porque ainda não tem a unidade dos diferentes, quer dizer que nem todos os ministérios estão funcionando.

E esse foi o estudo desta semana. Espero ter tirado sua dúvida e também colaborado para seu crescimento espiritual. Beijo no coração e até a próxima, se Deus quiser!

Por Cris Beloni, jornalista cristã, pesquisadora e escritora. Lidera o movimento Bíblia Investigada e ajuda as pessoas no entendimento bíblico, na organização de ideias e na ativação de seus dons. Trabalha com missões transculturais, Igreja Perseguida, teorias científicas, escatologia e análise de textos bíblicos.

* O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: “Vocês foram comprados por alto preço; não sejam escravos de homens”, alertou Paulo



Fonte: Guiame


27/02/2023 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
LOUVOR MANIA