NOTÍCIAS


Vítima de acidente pede oração a socorristas e sobrevive: ‘Deus estava comigo’


A estudante Katie Lentz tinha 19 anos quando seu carro foi atingido de frente por um motorista bêbado, enquanto ela estava a caminho da igreja. Ela conta que estava presa em seu carro e diz ter conversado com um casal que parou para ajudar.

“Não me lembro do impacto real”, disse Katie. “Mas eu me lembro da sensação de movimento. E foi aí que meu carro girou, antes de parar de lado”.

“Lembro-me de perguntar a eles se aquilo era vida real? Se estava realmente acontecendo.” Então, a única coisa que Katie fez foi pedir a eles que orassem em voz alta. 

Katie fez o mesmo pedido a todos que chegavam para ajudá-la. Um deles era o vice-xerife Richard Adair, o primeiro que chegou para atender a emergência. Por não ser um homem de oração, ele não achava que isso importaria.

“Sinceramente, nunca pensei que ela voltaria a andar, muito menos sobreviver”, disse Richard.

Mas Katie sabia que sua vida dependia da oração de outras pessoas.

“Eu não conseguia orar em voz alta como estava acostumada e como queria porque estava fraca, meu corpo doía”, disse Katie. “E então eu precisava que outras pessoas fizessem isso por mim. E isso me deu esse incentivo.”

Acidente grave

Muitas equipes de emergência chegaram e encontraram o carro caído do lado do motorista com Katie ainda presa. A jovem estava gravemente ferida e sangrando, e havia pouco que os socorristas pudessem fazer até tirá-la do carro, segundo o chefe dos Bombeiros de Nova Londres, Raymond Reed.

Carro de Katie ficou completamente destruído. (Captura de tela/CBN News)

“Shawn McCort, do Corpo de Bombeiros de New London, estava dentro do veículo com ela, para manter sua coluna vertebral e evitar mais danos”, disse Raymond.

Mais e mais orações

A equipe médica na vizinha Quincy, Illinois, estava a caminho. Enquanto isso, a mãe de Katie, Carla, recebeu a ligação da polícia estadual, com a informação do acidente de sua filha: 

“Este é um acidente muito sério, preciso que você se prepare e que mantenha sua fé”.

Imediatamente, Carla e o pai de Katie, Ed, começaram a orar e divulgar que sua filha precisava de oração.

“Pessoas por toda a cidade estavam começando a receber ligações, até mesmo nas igrejas; elas não sabiam das circunstâncias, exceto que Katie Lentz sofreu um acidente”, disse Ed Lentz.

Quando a equipe médica chegou, a enfermeira Dusty Wheeler assumiu o monitoramento dos sinais vitais de Katie.

“Tivemos dificuldade em verificar a pressão arterial e chegar até ela. Precisávamos tirá-la do carro porque sua pele estava ficando mais fria, úmida e era muito mais difícil sentir seus pulsos”, conta. 

Socorro difícil

“Então, uma hora após o início do resgate, um equipamento falhou. Eles tiveram que despachar o Corpo de Bombeiros de Hannibal, que tinha o equipamento de que precisavam. Mas eles estavam a quase 50 quilômetros de distância”. 

O chefe dos bombeiros de New London, Raymond Reed, disse: “Estávamos perto, estávamos tão perto. Mas parecia tão distante. Porque não conseguimos fazer os cortes finais e tirar o painel e a coluna de direção do colo dela.”

A enfermeira de voo Wheeler lembrou ao chefe Reed o que estava em jogo. “Se não a tirarmos logo, ela vai morrer”, disse categoricamente.

O chefe concordou: “Precisávamos agir e fazer algo e precisávamos fazer isso rápido”.

Enquanto isso, pessoas que acompanham o resgate e equipes responderam ao pedido de Katie e oravam em voz alta. Katie diz que essas orações lhe deram esperança.

“Nunca pensei que fosse morrer”, disse Katie. “Achei que eles só iam me tirar de lá”, lembra Katie. “Eu não sabia quanto tempo estava demorando, mas pensava que estaria viva”.

Ajuda final

Finalmente o Corpo de Bombeiros chegou com os equipamentos necessários. Os socorristas colocaram o carro sobre as rodas para ser feito o último corte para libertar Katie.

“Essa foi a primeira vez que minhas pernas foram movidas. Quando eles me puxaram para fora, a dor foi insuportável”, conta Katie.

No momento em que o helicóptero pousou no Hospital Blessing, Katie estava estável, mas ainda sangrando e em estado crítico. A cirurgiã de trauma ortopédico, Rena Stewart, estava esperando. Os raios X mostraram o quanto Katie estava ferida.

“Ela tinha ambos os ossos do fêmur, os ossos da coxa quebrados. Um em dois lugares, quebra terrível. O osso da tíbia, a tíbia do lado direito, era uma fratura exposta ou exposta. O que significa que os ossos estavam saindo de sua perna, literalmente”, disse a médica.

“A dor que ela teve de suportar foi a mais difícil, porque eu gostaria de ter aguentado. Isso foi o mais difícil”, conta seu pai.

Fé e oração

Enquanto Katie e sua família mantinham sua fé e oração, outras pessoas no hospital perceberam.

“É aí que eu realmente vejo o impacto de sua fé”, disse a cirurgiã ortopédica de trauma. “Eu nunca entendi o porquê … e fico com raiva do mundo por isso e é uma coisa terrível que aconteceu, mas a fé deles trouxe paz interior. E isso impacta tudo.”

“Acredito que Deus me deu paz sobrenatural. Os oficiais me disseram que eu nunca chorei, gritei ou fiquei histérica, e acredito que o Espírito Santo estava comigo para me guiar e reforçar isso dentro de mim”, disse Katie.

Cura emocionante

A médica ficou emocionada com a forma como os ossos cicatrizaram.

“Essa é uma cura maravilhosa, não existe nada melhor do que isso. Qualquer cirurgião ortopédico ficaria emocionado ao ver isso.”

Katie durante internação após acidente. (Captura de tela/CBN News)

Agora Katie se formou e está trabalhando. Ela diz que é grata pelos esforços heroicos dos homens e mulheres que ajudaram a salvar sua vida. Todos eles dizem que foi a fé e a oração de Katie que ajudaram a mudá-los.

“O compromisso que ela tinha com Deus naquele dia me fez pensar, cara, se alguém nessa situação pode permanecer tão leal, qual é a minha desculpa?”, disse o chefe dos bombeiros.

“Nestes tempos em que tudo o que você ouve são histórias ruins, cara, é muito bom ouvir as boas, pessoas por aí que têm esse relacionamento com Deus e têm um bom relacionamento familiar e força”, disse a enfermeira.

E o vice-xerife do condado, que a princípio não acreditava que Katie sobreviveria, acrescentou: “E foi uma constatação que ela percebeu, Deus a salvou”.

“A oração é um aspecto – e a oração é o aspecto em todas as áreas da minha vida, seja no trabalho, seja na escola, nos relacionamentos, na família, a oração é o centro de tudo porque, em última análise, Deus é o centro da minha vida”, disse Katie.



Fonte: Guiame


25/11/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO