NOTÍCIAS


Uma questão de honra – o princípio da honra



A Palavra do Senhor em 1 Samuel 2.30 ensina que Deus honra aqueles que o honram e despreza aqueles que o desprezam. Isso não se trata de uma troca, mas sim de um princípio bíblico de reciprocidade.

Tiago 4.8 mostra a forma como Deus se aproxima: “Cheguem perto de Deus, e ele chegará a vocês. Limpem as mãos, pecadores! E vocês que são indecisos, purifiquem o coração.” Na questão da honra é o mesmo princípio, tem a ver com o relacionamento com Ele.

Deus não precisa de honra, isso é um fato, mas ele deseja ser honrado. Na questão financeira é um efeito regulador que mantém o dinheiro no lugar certo no coração do homem. Malaquias no capítulo um do versículo seis até o dez retrata o Senhor reprovando os sacerdotes por oferecer apenas o que era conveniente, desonrando o altar e profanando aquilo que deveria ser santo.

A oferta deve demonstrar honra, se é feita de qualquer maneira então de nada vale. Existe uma relação entre o material e financeiro com a adoração. Deus procura o coração do ofertante e não a oferta, por isso uma oferta certa com o coração no lugar errado perde o seu valor.

O que conta é a honra

Um dos sinônimos de honra é respeito. Deus nunca quis a oferta, mas o coração daquele que a traz; na passagem de Malaquias citada anteriormente o Senhor ressalta que o povo perdeu o respeito que uma vez tivera, e deu valor maior aquilo que era mundano do que o que era Santo.

A palavra honra significa fazer distinção, a proposta do Criador é que a honra fosse revelada através dos bens. Quando não existe uma relação saudável entre uma pessoa e suas finanças, este se torna uma maldição e o indivíduo acaba por se tornar servo daquele que o deveria servir.

A Bíblia é clara:

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou irá odiar um e amar o outro, ou irá se dedicar a um e desprezar o outro. Vocês não podem servir a Deus e às riquezas.” Mateus 6.24

A relação entre o homem e suas riquezas é delicada, é necessário que haja um lugar definido e estabelecido para os bens, sendo assim eles não ocupam um lugar indevido no trono do coração do ser humano. 

“A honra não atém à oferta em si, mas o anseio de se expressar amor e valor ao Senhor.”

Como Deus vê as ofertas

Quando Deus pede por honra na parte financeira, Ele busca por distinção, um lugar acima, no qual o dinheiro nunca alcançará. O Altíssimo espera uma posição de soberania exclusiva.

Em Atos 4.35 toda a comunidade colocava suas ofertas aos pés dos apóstolos, esse gesto representa os bens como servos, apenas uma ferramenta que o Senhor depositou nas mãos de sua igreja.

Quando há entendimento sobre o lugar de Deus e a função do dinheiro, o Senhor tem a liberdade de confiar bens, encher os celeiros, transbordar lagares, sabendo que todas essas riquezas não comprometerão o relacionamento entre o homem e Ele.

Quando Deus diz me honre para que eu te honre não há uma troca, o Criador faz um convite a um lugar de maturidade, onde Ele seja o Senhor e os bens materiais os servos.

O propósito do cristão é manter Deus no lugar que Ele pertence em seu coração, a consequência disso é o depósito que Ele fará.

O princípio da honra é entender que Deus nunca esteve atrás da oferta, mas sim do coração.

Luciano P. Subirá é o responsável pelo Orvalho.Com – um ministério de ensino bíblico ao Corpo de Cristo. Também é pastor da Comunidade Alcance em Curitiba/PR. Casado com Kelly, é pai de dois filhos: Israel e Lissa.

*O conteúdo do texto acima é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Religiosidade versus imoralidade: O que é pior?



Fonte: Guiame


08/12/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO