NOTÍCIAS


Três igrejas foram invadidas na China e pastores se preparam para 'pressão pior'



A International Christian Concern (ICC) revelou que várias igrejas domésticas em toda a China foram vítimas de ataques e líderes presos por acusações forjadas. 

O pastor Lian Chang-Nian, sua esposa Guo Jiuju, seu filho pastor Lian Xuliang, sua nora Zhang Jun e o neto de 9 anos foram levados para a delegacia de polícia de Shilipu depois que suas casas foram invadidas. Além deles, o pregador Fu Juan e a fiel Xing Aiping, da Igreja Abundante de Xi’na, também foram detidos.  

Os adultos foram algemados e levados à igreja para uma sessão de fotos encenada, em seguida, as autoridades proferiram o veredicto dos “crimes” praticados pelos cristãos: reunião ilegal, local ilegal e coleta ilegal de fundos.

De acordo com o ICC, um membro da igreja que testemunhou o processo disse que o pastor Lian Xuliang teve vários ferimentos na cabeça e nos braços, devido a maus-tratos. 

As mulheres foram libertadas, enquanto o pregador Fu está desaparecido e os pastores – pai e filho – são mantidos sob vigilância em um local designado na província de Shaanxi por “fraude”. 

Linfen Igreja da Santa Aliança 

A perseguição também alcançou 70 membros da Linfen Holy Covenant Church (Igreja da Santa Aliança) na província de Shanxi.

Em 19 de agosto, por volta das 19h, eles estavam participando de um acampamento ao ar livre, quando 170 policiais invadiram o local e levaram os funcionários da igreja, Li Jie e Han Xiaodong. Todos foram revistados, tiveram seus celulares confiscados e foram levados pela polícia. 

A polícia também vasculhou as casas de Li e Han, levando documentos e livros. Li, sua esposa Li Shanshan e Han desapareceram após o ataque. Outro membro da igreja, Hou Guobao, também foi levado.  

Cristãos étnicos Nu 

No mesmo dia, os familiares de cristãos de etnia Nu receberam avisos de detenção de Nu Wang Shunping e Nu Sangdeng. Ambos foram levados pela polícia por “supostamente organizar e patrocinar reuniões ilegais”, segundo o Departamento de Segurança Pública do condado de Fugong, na província de Nujiang.  

O irmão San Luopo e duas mulheres cristãs de fora da cidade também foram detidos, mesmo sem a emissão de nenhum documento oficial.   

Igreja House of Light de Changchun

Em 21 de agosto, a Igreja House of Light em Changchun, província de Jilin, foi invadida pela polícia durante seu culto de domingo.

Antes de levar o pastor Zhang Yong (também conhecido como Guo Muyun), o ancião Qu Hongliang e o irmão Zhang Liangliang, as autoridades dispersaram todos os fiéis. 

Devido à natureza violenta do ataque, duas fiéis do sexo feminino sofreram ataques cardíacos e foram levadas ao hospital em estado de emergência. 

Os cristãos detidos foram libertados na madrugada de 22 de agosto, embora haja denúncias de que os homens tenham sido tratados brutalmente durante a detenção.

Repressão em série

A série de repressões ocorre uma semana depois que a Early Rain Covenant Church e a Beijing Zion Church, com sede em Chengdu, tiveram seus membros presos durante um culto de domingo.

Não está claro por que Pequim intensificou a repressão às igrejas domésticas. 

O padre Francis Liu, da Chinese Christian Fellowship of Righteousness, declarou à ICC: “Assim como o recém-eleito presidente da Associação Patriótica dos Católicos Chineses, o arcebispo de Pequim Joseph Li Shan, disse: ‘A autoridade da Igreja precisa se submeter ao [comunismo chinês regime do partido]; é preciso ouvir a festa.’ Esta última rodada de perseguição procura controlar estritamente os pensamentos das pessoas”.

Segundo Liu, as igrejas invadidas no fim de semana seguem principalmente a tradição reformada, que enfatiza a independência da igreja, enquanto algumas igrejas domésticas evangélicas ou carismáticas que ele conhece defendem firmemente o patriotismo.  

“O regime de Xi Jinping teme muitas coisas; uma coisa são pessoas com crenças religiosas”, disse Gina Goh, Gerente Regional da ICC para o Sudeste Asiático.

“Eles querem garantir que os cidadãos chineses sejam leais à ideologia do PCC e nada mais. Esse medo se traduz em repressão da igreja, ‘campos de reeducação’ para uigures e demolição de estátuas budistas. As igrejas domésticas estão se preparando para potencialmente a pior repressão desde a Revolução Cultural”.



Fonte: Guiame


25/08/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO