NOTÍCIAS


Sobrevivente de 6 tentativas de aborto testemunha: “Deus me resgatou da morte”


Lauren Eden sobreviveu a seis tentativas de aborto, sua mãe havia feito várias consultas em diversas clínicas antes de dar início a um processo de desmembramento de segundo trimestre de D&E, que forçou o parto prematuro de Lauren com apenas 26 semanas.

Aos 21 anos, ela descobriu que foi alvo do amor de Deus através de 15 milagres que salvaram sua vida antes do nascimento.

Segundo o site Live Action News, na época sua mãe era uma estudante universitária de 18 anos e seu pai estava no último ano da faculdade. Ele queria ficar com o bebê, mas a mãe de Lauren achava que o aborto era a melhor escolha. 

Depois de uma série de eventualidades, a mãe de Lauren foi parar em uma clínica de aborto do outro lado de Dallas, quando chegou lá para fazer o procedimento, a equipe informou que ela estava no segundo trimestre e precisaria de um aborto de desmembramento de dois dias. 

De acordo com o Live Action News, esse procedimento envolve a dilatação do colo do útero com uma laminaria no primeiro dia. No segundo dia (às vezes no terceiro dia), a criança é desmembrada. 

Seus braços e pernas são arrancados e seu crânio é esmagado enquanto o aborteiro a remove do útero membro por membro. 

Depois de inserir a laminaria, a mãe de Lauren foi instruída a esperar que o procedimento funcionasse. 

“Ela estava com muita dor e ficou com medo”, explicou Lauren.

“Meu pai sentiu o Senhor chamando-o para orar com ela. Minha mãe disse a ele que se ele fosse até Dallas e a encontrasse na clínica na manhã seguinte, ela tinha 90% de certeza de que não faria o procedimento”, acrescentou ela.

Salvando a vida de Lauren

O pai de Lauren correu para Dallas às quatro da manhã, tentando chegar na cidade antes que a mãe desse continuidade ao aborto. 

Ele chegou alguns minutos depois do horário marcado, a equipe não lhe deu nenhuma informação. Depois de andar e orar, a porta do elevador se abriu e a mãe de Lauren apareceu. 

“Ela disse ao enfermeiro que não iria terminar o aborto e ele informou que ela estava totalmente dilatada”, disse Lauren.

E continuou: “Disseram a ela que ela estava colocando em risco a vida dela e a minha se não continuasse com isso. Ela disse que estava disposta a arriscar”.

No dia seguinte, quando retornavam para casa em Little Rock, cidade do estado de Arkansas, o pai disse à mãe que havia tentado entrar com um pedido de liminar para impedir o aborto, mas Deus trabalhou para mudar o coração dela.

O casal foi a um médico pró-vida que colocou a mãe de Lauren em repouso. Ela não tinha para onde ir, pois até os pais a incentivaram a abortar, então ela passou a morar com um casal cristão, amigos de seu namorado. 

“Janna [a residente da casa] foi o primeiro exemplo verdadeiro das mãos e pés de Jesus para minha mãe. Ela fez a diferença na vida e no coração da minha mãe”, contou Lauren.

Quando a mãe de Lauren entrou em trabalho de parto, Janna a levou ao hospital, onde disseram que havia 95% de chance do bebê não sobreviver e que, se sobrevivesse, havia apenas 5% de chance de não sofrer dano cerebral. 

O pai de Lauren e Janna ficaram no quarto e oraram. Seu pai acreditava que Deus não os deixou chegar tão longe para perder o bebê. 

Lauren nasceu com cerca de 26 semanas, ainda dentro do saco amniótico. Após o nascimento ela foi levada imediatamente para a unidade de terapia intensiva neonatal (UTIN). Embora sua mãe tivesse planejado colocar Lauren para adoção, ela mudou de ideia. 


Lauren quando criança. (Foto: Reprodução/Live Action News)

Contra todas as probabilidades, ela sobreviveu e não teve os danos cerebrais que os médicos previam, apenas poucas complicações. 

Intervenções de Deus

“Eu realmente acredito que Deus interveio de maneira milagrosa em minha vida e na vida de meus pais”, afirmou Lauren. 

“Ele me resgatou da morte física e resgatou minha mãe espiritualmente. Todas as orações e milagres respondidos — 15 milagres ao todo — que Deus fez ao longo do caminho. Dou ao Senhor a honra e o louvor porque Ele me resgatou”, declarou ela.

Lauren disse que sua mãe nunca teve a intenção de manter as tentativas de aborto em segredo, mas temia que Lauren a odiasse por isso. 

“Ela decidiu me contar. Foi um momento interessante porque na semana anterior me pediram para compartilhar meu testemunho em um grande evento para jovens. E eu disse: ‘Que testemunho? Eu realmente não tenho um testemunho’”, relembrou ela. 

E continuou: “O líder disse: ‘Deus está me dizendo que você deveria compartilhar. Você deveria orar sobre isso.’ Deus tinha acabado de orquestrar tudo isso. O Senhor deixou bem claro naquele dia que Ele estava me chamando para ser uma voz para os que não têm voz”.

Apesar do choque, Lauren ficou maravilhada com a forma como Deus interveio em sua vida. Ela confiou que Ele tinha um plano e um propósito. 

“Eu soube imediatamente que tinha que perdoar minha mãe porque pude ver que ela estava lutando para carregar essa bagagem por 20 anos”, disse Lauren.

Agora, com a bênção de sua mãe, Lauren está compartilhando sua história em tempo integral depois de se conectar com Melissa Ohden da Rede de Sobreviventes do Aborto. 

Através da organização, ela recebeu treinamento de cura e palestrante e recentemente compartilhou sua história de sobrevivência no Capitólio do Estado da Geórgia. 


A família de Lauren. (Foto: Reprodução/Live Action News)

“Eu quero ser uma voz para os que não têm voz. Tantas pessoas não percebem que existem sobreviventes do aborto. Somos uma voz tão importante que precisa ser ouvida”, concluiu Lauren.



Fonte: Guiame


12/04/2023 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
RAZÃO PARA VIVER