NOTÍCIAS


Sacrifício de novilha vermelha pode ocorrer em um ano em Jerusalém


O ritual de sacrifício de uma novilha vermelha pode acontecer no Monte das Oliveiras, em Jerusalém, daqui a 13 meses. Segundo Byron Stinson, responsável por localizar e ajudar a levar os animais dos Estados Unidos para Israel, encontrar as vacas prontas para o sacrifício não era o único objetivo.

O empresário do Texas disse à All Israel News, que a Boneh Israel, a organização com a qual ele está envolvido, que também comprou terras no Monte das Oliveiras que atendem aos requisitos para um sacrifício bíblico fora de um templo.

Ele explicou que um sacrifício não exige um novo templo e pode ser realizado a uma certa altura e direção – e o terreno no Monte das Oliveiras atende a esses requisitos.

“Este é um grande passo – este é um grande sinal. Se conseguirmos fazer a cerimônia em um ano e meio, para dois anos”, disse. “Isso não significa que o templo será construído dentro de um ano, 10 anos ou 40 anos, 100 anos… porque você tem as cinzas. Salomão teve as cinzas da novilha vermelha e durou 1000 anos.”

“A novilha vermelha não significa que você tenha que construir imediatamente. No entanto, acho que é como uma chave que liga o motor”, acrescentou.

Fim dos tempos

As cinco novilhas vermelhas chegaram em Israel há cerca de duas semanas para levantando especulação sobre o fim dos tempos. Elas foram todas determinadas por certos rabinos a serem ritualmente puras para sacrifício. Os animais devem ficar imaculados para serem sacrificados quando tiverem mais de 2 anos.

Cinco novilhas vermelhas chegaram a Israel em 15 de setembro de 2022. (Foto: Reprodução/Boneh Israel)

Com pouco menos de um ano, os bezerros estão prestes a serem liberados de uma quarentena de 10 dias depois de chegarem do Texas.

Para encontrar a novilha apta a atender aos requisitos para o sacrifício, uma busca minuciosa tem sido implementada há alguns anos. Essas vacas em particular são as mais próximas documentadas na história recente até agora que atendem aos requisitos.

Ao serem sacrificadas, as cinzas de uma novilha vermelha servem para purificar os sacerdotes que serviriam no templo, conforme Números 19. Porque todo o animal é queimado e as cinzas armazenadas e usadas com parcimônia – aspergidas na água da fonte de Giom – apenas nove sacrifícios semelhantes foram realizados ao longo da história.

Por volta dessa época, o próximo ano seria a primeira vez que um deles – o décimo na história – poderia ser sacrificado. Mas, explicou Stinson, isso também abre muito tempo para qualquer um dos cinco animais possam se tornar imperfeito para o sacrifício, caso tenha crescimento de pelos não ruivos ou desenvolva algum tipo de defeito.

Apoio cristão

Stinson diz que como cristão, acredita que é sua obrigação apoiar o sacrifício judaico, mesmo que não seja isso que ele acredita, porque “o propósito da novilha vermelha é deixar o véu ser levantado”.

“Podemos apoiá-los nessa cerimônia da novilha vermelha, o templo sendo construído e um sacrifício diário, sacrifício semanal”, explica Stinson. “Temos que ter uma melhor compreensão do que Deus está colocando no lugar.”

“Todas essas coisas (Deus) projetadas como uma imagem espelhada do céu”, disse ele.

Stinson disse ainda que é motivado por um propósito: promover a unidade entre cristãos e judeus.

Ele trabalhou com rabinos do “Temple Mount Institute”, uma organização que trabalha para restaurar o próximo templo, criando elementos e objetos conforme descrito nas Escrituras e levantando sacerdotes para o futuro serviço religioso. A novilha vermelha é uma grande peça desse quebra-cabeça.

Judeus e cristãos

De acordo com o All Israel, a maioria dos israelenses – seculares e religiosos – sequer ouviu a notícia de que as novilhas vermelhas estão no país porque pouco foi noticiado pela grande mídia. Muitos israelenses consideram o Instituto do Templo à margem do judaísmo ortodoxo convencional e não se alinham com suas práticas.

Para os cristãos, esse tipo de notícia coloca em evidência os ensinamentos sobre o fim dos tempos. Enquanto os sacrifícios judaicos terminaram com a destruição do Segundo Templo e para os cristãos eles são desnecessários porque Jesus tomou o lugar do sacrifício de animais quando morreu na cruz.

No entanto, muitos judeus acreditam que alguém precisa ser sacrificado para restaurar o sacerdócio levítico, construir o templo e realizar sacrifícios contínuos em Jerusalém. Para eles, significa que a redenção está próxima.



Fonte: Guiame


03/10/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO