NOTÍCIAS


Reconstruindo um casamento quebrado pela pornografia: ‘Convidamos Jesus para nossas vidas’


Um segredo arruinava mentalmente o artista vencedor do Dove Award, Clay Crosse, que entrou na cena da música cristã contemporânea em 1994 com seu hit “I Surrender All” (em tradução livre, “Eu entrego tudo”).

O cantor e compositor continuou a crescer nas paradas ao longo dos anos seguintes, produzindo outras canções que chegaram ao primeiro lugar e esgotando shows em todo os EUA.

Mas por traz daquela voz envolvente e do status de estrela, ninguém sabia sobre o vício de Clay em pornografia.

Essa história e como ele venceu esse problema que assola muitos homens e mulheres, está relatada no livro “I Surrender All: Rebuilding a Marriage Broken by Pornography”, onde Clay e sua esposa Renee falam sobre o impacto que o vício teve em seu casamento e sua jornada para o perdão e a cura.

Em uma entrevista à produtora da CBN.com, Belinda Elliott, o casal falou sobre o livro, bem como o “HolyHomes Ministries”, um ministério que eles criaram para ajudar os casais a aprofundar seu relacionamento com Cristo e desenvolver famílias que honrem a Deus.

Testemunho

Clay contou que apesar de a situação ser difícil, sua história está sendo usada por Deus como testemunho para impactar outras pessoas.

“Estamos em um lugar agora onde é mais confortável dizer: ‘Sim, eu costumava estar envolvido em pornografia. Essa foi uma tentação em minha vida que estava me afastando, mas Deus fez uma grande obra em minha vida, e eu quero contar a vocês sobre isso.’ A primeira vez que pronunciei essas palavras foi com lágrimas escorrendo pelo meu rosto e era difícil até mesmo dizer isso a alguém”, declarou.

Clay classifica a pornografia como “um assassino em nossa sociedade. Isso estava me matando e estava nos matando”.

Sua esposa Renee diz que “algo que tornou mais fácil falar sobre isso é que é tão prevalente na sociedade de hoje”.

Clay e Renee Crosse ministram para casais. (Foto: Facebook/ClayCrosseMinistries)

“Partilhávamos esse testemunho em igrejas em toda a América e as pessoas vinham depois com lágrimas escorrendo pelo rosto e diziam: ‘Você está contando nossa história. Estamos lutando com isso.’ Ou eles diziam: ‘Estou divorciado por causa disso’. Então percebemos que as pessoas precisam falar sobre isso. Esta é a mensagem de Deus através de nós para a igreja, e tem sido poderosa”, explica Renee.

Sutilezas

Clay contou que sua descida à pornografia foi sutil e progredindo lentamente. E que os cristãos precisam estar cientes dessas sutilezas, inclusive em programas de televisão que todos assistem.

“Podem ser programas de televisão que toleram sexo fora do casamento, o que a maioria deles faz. Quanto mais as pessoas assistem a isso, mais as pessoas começam a pensar: ‘Ei, eu também posso fazer isso’”.

Encorajamos os cristãos a fazer um balanço de suas escolhas de entretenimento. Se um homem não gosta de pornografia, mas gosta de programas de televisão como a edição de maiô da Sports Illustrated, algo assim que não seria considerado pornografia, ele está escorregando para a pornografia se estiver assistindo a isso. E pode ser mais sutil do que isso”.

Renee diz que “muitos dos filmes de hoje vão tão longe com a maneira como falam sobre sexo, a maneira como retratam o sexo na tela  … que estão tão pertos de cruzar essa linha para a pornografia que você está em uma ladeira muito perigosa para se permitir assistir esse tipo de material”.

“‘Como cristão, minhas escolhas de entretenimento se alinham com o que acredito? É isso que você tem que se perguntar”, diz Renee.

Responsabilidade

No livro Clay discute a ideia de responsabilidade e como ela é importante para lidar com o vício.

“Certamente, deve haver responsabilidade entre os cônjuges. Ouvi dizer que não deveria ser seu cônjuge, mas não posso dizer isso com certeza porque tenho certeza de que alguns maridos e esposas poderiam fazer isso. Mas há muitos que não podem, porque se um homem for realmente honesto, muito disso afetará negativamente a esposa”, diz.

“Para nós, depois da confissão geral – quando Clay me confessou essas coisas, sobre a pornografia e o problema que ele tinha com a luxúria – nos dias que se seguiram havia coisas que ele iria trazer de novo, e um mês depois a estrada tornou-se como jogar sal em uma ferida toda vez que ele mencionava outra coisa. Eu disse: Sabe, eu aprecio você ser honesto, mas vamos seguir em frente”, lembra Renee.

Eles dizem que é importante procurar ajuda na igreja, em alguém que se possa confiar e se expor a perguntar difíceis, porque tem perguntas que precisamos fazer.

“Como está o fator luxúria em sua vida? Você já viu pornografia na internet? Você está escorregando de volta para isso? E até as mulheres porque estamos descobrindo – e isso foi um choque para mim – que as porcentagens são de cerca de 37% de mulheres que admitem atividade na internet com pornografia ou salas de bate-papo românticas, esse tipo de caso emocional. Então, isso é algo pelo qual as mulheres precisam se responsabilizar também”.

Mudanças e orações

Clay fala que a cura pode ver diante da verdade. E que o casal precisa saber que as coisas podem mudar. “Vidas podem mudar. Até os desejos mais profundos podem mudar. Eles não precisam ficar onde estão. Eles só precisam perceber que há esperança”.

Sobre o seu casamento, ele diz que “Renee e eu somos a prova disso. Ainda estamos juntos. Acredito que somos mais fortes do que nunca; e é somente porque convidamos Cristo para nossas vidas de uma maneira mais profunda e temos uma caminhada mais próxima com Ele”.

“Nós dois éramos crentes, mas até aquele momento não estávamos andando com Deus. Eu acho que é tão importante que enfatizemos estar na Palavra de Deus. Eu corria para a Palavra de Deus e dizia: ‘Deus, me perdoe. Cure nossa casa. Cure-nos. Ensina-me o perdão’”, lembra.

Clay Crosse durante louvor. (Foto: Facebook/ClayCrosseMinistries)

Renee diz que uma nova forma de oração também foi muito importante. “Clay e eu orávamos em uma refeição, ou se alguém estivesse no hospital. Nós fazíamos uma oração [tipo] 911: ‘Ei, fulano de tal está fazendo uma cirurgia, fique com ele, Deus’. Mas estou falando sobre realmente se unir como um casal orando e buscando ao Senhor juntos, pedindo a Deus para curá-los e orando um na frente do outro”, explica.

“Foi uma das coisas mais difíceis que já fizemos – ser abertos, honestos e vulneráveis um na frente do outro – mas Deus trouxe tanta intimidade e cura ao nosso casamento por meio dessas orações e por meio de Sua Palavra. Você tem que ter essas duas coisas”.

Renee falou ainda sobre a importância de se perdoar alguém que o magoou tanto.

“Falamos em muitas conferências e eventos matrimoniais, e converso com muitas mulheres que ‘pegam’ seus maridos neste pecado secreto. É muito mais difícil lidar com isso, mas Deus diz para perdoar”, afirma ela, dizendo que Clay não foi pego, mas ele confessou e pediu perdão.

Renee explica que não é algo que acontece da noite para o dia. No caso dela, “foi um processo, mas quando comecei a orar e dizer: ‘Deus, como posso perdoar meu marido?’ então Ele começou a me mostrar as Escrituras”.

“Eu queria culpar Clay por esse problema em nossas vidas e em nosso casamento – como ele ousa fazer uma coisa tão horrível e trazer isso para nossa casa – mas então Deus me mostra nas Escrituras [a passagem] sobre a trave e o cisco. Foi como Deus disse: ‘Se você vai olhar para o cisco no olho dele, veja a trave no seu, Renée’”.

‘Todos erram’

Ela diz que em seu caso não era pornografia, mas eram revistas, filmes, novelas e coisas que ela tanto amava. “Há algumas mudanças que você precisa fazer também. … Deus tratou comigo e me mostrou que havia problemas na minha vida também”.

Renee diz que também ajudou seu marido, orando por ele. “Com a graça de Deus, escolhi orar por meu marido e orar as Escrituras por ele. Quando você começa a orar por alguém, Deus começa a curar e o perdão começa a fluir. … Então, eu apenas encorajo as pessoas a orar”.

Medidas preventivas

O casal ainda falou sobre medidas preventivas, para que casais possam proteger seu casamento.

“Lares Sagrados”, responde Renee, de forma breve.

Clay completa: “Isso mesmo. Lar sagrado é algo que encorajamos. Conversamos sobre escolhas de [programas de] televisão e opções de entretenimento, mas vai muito além disso. Encorajamos os lares cristãos a serem separados para a glória de Deus e a serem diferentes de outros lares em sua vizinhança que não seguem a Cristo. Não devemos nos parecer com aquelas casas. Devemos ser separados”.

Renee também fala que além disso, existem coisas essenciais para o casal cristão, como “andar com o Senhor, permanecer em Sua Palavra, ser responsável, ensinar a seus filhos a Palavra de Deus, ensiná-los a orar e orar abertamente na frente deles”.

 “Satanás não quer que façamos essas coisas como famílias cristãs. Ele quer que tenhamos medo de orar e medo de falar a verdade de Deus, mas temos que nos levantar”, avisa.

“Ele quer que não nos comuniquemos com nossos filhos. É totalmente o oposto do que Deus quer para nossos lares. Clay e eu olhamos para nossa casa e pensamos que nossa casa ainda está longe de ser um lar sagrado, mas estamos no caminho agora. Queremos que seja separado e diferente, não sendo legalista sobre isso, mas queremos que seja um lugar onde os outros vejam Jesus em nossa casa e em nossas vidas”.



Fonte: Guiame


12/08/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO