NOTÍCIAS


PT pede multa à igreja por usar bandeira do Brasil no templo



Por estender a bandeira do Brasil na fachada da mais antiga igreja Assembleia de Deus no país, no Belém do Pará, o pastor Samuel Câmara foi surpreendido por uma ação do PT: “Tomei um susto quando me chamaram dizendo que havia uma decisão judicial de que a gente não podia manter essa bandeira aqui, hasteada ao lado do nosso templo”. 

O pastor explicou, através de um vídeo que seu filho postou no Instagram, “que o PT, através da Federação Fé Brasil, do candidato Lula, pediu à justiça eleitoral que mandassem retirar a bandeira, pagasse 50 mil reais de multa ou prendesse o representante”.

“Eu sou o pastor da igreja, fazemos isso há muito tempo e nunca ninguém se incomodou. Por que só agora, em tempo de eleição, o PT faz isso?”, Samuel Câmara questionou.

‘Nem estão governando o Brasil, imagine se governar’

“Já me falaram muito sobre perseguição religiosa, eu não quero crer, mas agora eu já tô pensativo. Nem estão governando o Brasil e já fazem isso com a Igreja, por causa da bandeira brasileira, imagine se governar”, disse o pastor ao apresentar a petição.

O pedido absurdo feito pela Federação Brasil da Esperança, formada por PT, PC do B e PV foi negado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), na última sexta-feira (14). 

A Federação tentou acusar a igreja por “propaganda eleitoral irregular” e pediu “poder de polícia” para retirada imediata da bandeira. 

“A decisão sábia da juíza Blenda Nery Rigon Cardoso diz que não é crime e a bandeira permanece, graças a Deus”, disse o pastor ao enfatizar que quer manter a bandeira exposta.

“Quem não respeita a bandeira do Brasil, os brasileiros e o uso dela, não merece governar a gente”, resumiu.

‘Petistas tentam proibir uso de um símbolo nacional’

A ira do PT — que usa a cor vermelha para representar seu partido — se dá porque as cores verde e amarelo estão sendo usadas pelos brasileiros para “sinalizar simpatia a Bolsonaro, dentro das igrejas evangélicas”, conforme a Folha de S. Paulo.

A juíza que assumiu o caso, porém, se posicionou contrária a esse entendimento e disse que “não há vedação para o uso de símbolos nacionais na propaganda eleitoral”. 

“É inviável limitar o direito à liberdade de expressão quanto à utilização de um símbolo nacional, garantia fundamental insculpida constitucionalmente”, afirmou a juíza. 

‘Estamos orando pelo Brasil’

O pastor Philipe Câmara, filho de Samuel Câmara, disse que a bandeira já cobriu a igreja sede em diversas outras ocasiões, como no 7 de setembro ou no Centenário da Assembleia de Deus, em 2011. 

Ele também explicou que a bandeira voltou à fachada agora pelos mesmos motivos que é colocada em “festas, momentos cívicos, de comoção e alegria nacional”. 

Estamos vivendo um momento importante para o Brasil. Como fazemos há muitos anos, estamos orando pelo país”, disse ele em entrevista à Folha de S. Paulo. 

Assim como seu pai, o pastor lamentou que “o símbolo maior da nação seja tratado dessa forma, e se disse surpreso pela tentativa do PT em querer proibir o uso da bandeira “num país livre e democrático como o nosso”. 

O ataque à Assembleia de Deus na tentativa de ferir a liberdade de expressão dos cristãos é um indício do que poderia acontecer às igrejas caso um governo de esquerda passasse a liderar o Brasil.

“Acorda Brasil, se sem poder já fazem isso, imagine com o poder”, conclui André Câmara em suas redes sociais. 



Fonte: Guiame


17/10/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO