NOTÍCIAS


Pastor tetraplégico é curado e impacta médico: “Prova que existe um Ser Superior”


A história de Abe Daniel foi completamente mudada em junho de 1998. Ele havia acabado de se formar na faculdade, recém-contratado como pastor associado e logo iria pedir sua namorada Anna em casamento.

“Minha vida pessoal estava progredindo, minha futura vida conjugal estava tomando forma e talvez eu me sentisse invencível”, lembra.  

Junto com alguns amigos, em 8 de junho Abe foi jogar uma partida de golfe em um campo local onde ele jogava semanalmente há anos. No segundo tee, ele acertou um drive de 250 jardas que parecia perfeito.

Enquanto ele e dois amigos andavam em seu carrinho de golfe em direção à segunda tacada, descendo um caminho íngreme, o motorista acionou o freio do carrinho para desacelerá-los. Com a intenção de usar o pedal do freio tradicional, ele pressionou por engano o freio de subida do carrinho, que travou as quatro rodas e fez o carrinho parar rapidamente.

Os três jovens foram jogados do carrinho; o motorista à esquerda, outro amigo pelo centro e Abe à direita. Eles ficaram assustados, mas o pior viria depois.

Acidente grave

Após seus amigos rapidamente tirarem o carrinho de cima de Abe, que estava em uma posição contorcida, com o queixo apoiado no peito, ligaram para a emergência.

Abe se lembra de tudo claramente: “Grupos de socorristas começaram a chegar, incluindo a patrulha rodoviária, o corpo de bombeiros local, a polícia local, os socorristas EMT em suas ambulâncias e outros.” 

O rapaz foi levado de helicóptero para um hospital em Santa Clara, na Califórnia, onde passou por muitos raios-x e testes para determinar a extensão de seus ferimentos.

Sua principal preocupação, porém, era o custo de todos aqueles testes caros e como ele pagaria por eles. Então o neurologista deu a notícia: “Abe, você quebrou o pescoço”. 

Consequências

Aquele acidente deixou graves consequências para Abe, que fraturou a quarta vértebra, um ferimento semelhante ao sofrido pelo ator Christopher Reeve, que passou o resto de sua vida como tetraplégico.

O prognóstico para Abe era sombrio. Nas primeiras 24 horas, entrando e saindo do sono induzido por drogas, ele tentou entender o que isso significaria para sua vida. Poucas horas antes, ele estava no topo do mundo; agora, cada sonho que ele tinha parecia ter acabado.

A pergunta que se fazia era: Como ele poderia ser um pastor de jovens se não pudesse se mover? Ou tocar piano para liderar a adoração?

“E enquanto esse sonho estava desaparecendo, o que mais me atingiu foi o casamento. Eu tinha uma linda namorada que eu sabia que Deus havia colocado em minha vida”, disse.

Sem esperança

Durante o primeiro dia no hospital, a família de Abe e Anna não tiveram permissão para vê-lo, enquanto os exames eram feitos. O neurologista então explicou a ele que precisaria ter um “halo” de metal parafusado em seu crânio até que seu pescoço se fortalecesse o suficiente para suportar novamente o peso de sua cabeça.

Abe Daniel usando um halo craniano, após o acidente. (Captura de tela/CBN News)

Isso significava que sua cabeça não descansaria em nenhuma superfície, incluindo um travesseiro, por meses. Abe diz que sua esperança evaporou.

“Enquanto eu estava navegando pela época mais difícil da minha vida, me vi questionando muitas coisas relacionadas à minha fé. Especificamente, comecei a questionar se Deus ainda estava comigo?”, diz.

Logo, a tristeza se transformou em raiva: “Suplicar meu caso a Deus não foi um pedido de oração, foi uma acusação de meu tratamento injusto. Digitá-lo hoje é a revelação de orgulho, arrogância, ignorância e muito mais.”

Depois de desabafar sua raiva, as emoções de Abe se transformaram em resignação. “Minha rendição não foi saudável. Minha rendição tornou-se uma oração de derrota em oposição a uma oração de fé”. 

Ação milagrosa

Depois daquele tumultuado primeiro dia no hospital, aconteceu algo que ninguém esperava. Abe pediu pedaços de gelo à enfermeira e ficou cada vez mais frustrado porque ela não entendeu onde ele disse que estava o jarro.

“Um pulso disparou pelo meu corpo e encheu meu braço, fazendo-o levantar e se mover para a esquerda com meu dedo indicador totalmente estendido para o jarro de lascas de gelo existente. Naquele momento, tanto a enfermeira quanto eu congelamos. Algo havia mudado e nós dois estávamos tentando processar o que havia acontecido”, diz. 

De forma milagrosa, a sensação começou a retornar aos membros de Abe. “Em alguns momentos, tudo, exceto meu braço esquerdo, recuperou toda sensação e amplitude de movimento”, lembra.

O neurologista, que acompanhava o caso de Abe estava perplexo e disse, ao reexaminar seus prontuários:

 “Abe, não há explicação científica para o motivo de você ter movimento em seu corpo. No entanto, depois de quarenta anos de experiência médica, posso dizer-lhe que vi sinais que provam que existe um Ser superior a nós”. 

Os 100 dias seguintes foram preenchidos com fisioterapia e terapia ocupacional, cirurgia e mais terapia até que finalmente o halo craniano de Abe pôde ser removido.

Ele ainda convivia com uma paralisia no braço esquerdo, que estava mais alto e 95% se recuperou do que se esperava ser a vida em uma cadeira de rodas

Bondade de Deus

Abe é pastor há duas décadas, e diz que já teve que lidar com muitas situações e crises desanimadoras. Embora ele possa se relacionar, sentir compaixão e encorajar, ele também aprendeu muitas lições sobre a bondade de Deus em meio a severas provações.

A pessoa está aprendendo a olhar para o Senhor, não para as circunstâncias, em busca de esperança. “É mais uma vez meu lembrete de que olhar para baixo focará apenas no que está presente, mas olhar para o Pai Celestial restaurará a esperança quando tudo tiver desaparecido.” 

Ele chama de “névoa espiritual” a falta de entendimento que pode facilmente se instalar quando os crentes estão profundamente magoados ou desapontados, o que precisa ser reconhecido por outros.

Fé em Cristo

“O nevoeiro pode realmente paralisar até mesmo o cristão mais forte e cheio de fé, impedindo-nos de nos prepararmos adequadamente para a guerra que temos pela frente”, alerta.

“Quando este é o nosso alicerce, não há neblina que possa ofuscar nossa maior tragédia. Minha fé em Cristo fará com que a névoa se dissipe!”, diz o pastor.

Os resquícios das lesões que Abe sofreu ainda permanecem, 24 anos depois do acidente, mas ele está sempre grato por sua recuperação.

“O impacto de espasmos musculares diários, dor crônica no pescoço e outros efeitos colaterais é um pequeno preço a pagar pela capacidade de caminhar e correr. Para alguns, isso seria deprimente. Para mim, é um lembrete da promessa de Deus.” 

 



Fonte: Guiame


12/01/2023 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO