NOTÍCIAS


Pastor é torturado por policiais e responde: “Vou servir a Deus até o último suspiro”



O futuro de um jovem filho de pastor estava sendo preparado por seu pai: ele se tornaria um ministro da palavra. Com essa visão, o jovem começou a ser treinado para o chamado pastoral.

No meio do processo, o pastor Shekhar*, pai do jovem, foi preso, torturado e depois mandado sair de casa.

“Às vezes, quando penso nesse incidente, fico com medo”, diz Shekhar. “Minha família também se sente aterrorizada. Minha esposa ainda está com medo e em choque e se recusa a deixar nosso filho se envolver no ministério porque vimos tanta dor em nossas vidas”.

Ser cristão e pastor na Índia, onde vive a família, é perigoso diante da perseguição religiosa e deixa feridas e cicatrizes profundas, como na família de Shekhar.

Apesar de a Constituição da Índia garantir a liberdade de religião – e, segundo todos os relatos, muitos indianos concordam – a perseguição religiosa no país é imensa e crescente, contrariando opinião popular, segundo pesquisa recente.

Dados da Pew Research Center de 2021 apontam que 84% dos indianos consideram o respeito às pessoas de outras religiões uma parte importante de sua identidade religiosa. Por décadas, a Índia tem sido um local de descanso para pessoas de muitas religiões que fogem da opressão.

Mas o mesmo estudo do Pew mostra uma tendência perigosa na Índia: 45% dos hindus dizem que não aceitariam uma pessoa de pelo menos um dos grupos religiosos minoritários na Índia.

E essa é a realidade que deixou o pastor Shekhar e sua família cambaleando, diz a Portas Abertas.

País perigoso para cristãos

A organização de proteção a cristãos diz que o Pr. Shekhar é um líder da igreja do sul da Índia. E a localização de onde vive ou trabalha atualmente não pode ser revelada, por motivo de segurança.

A Índia atualmente figura em 10º lugar na Lista Mundial de Vigilância de 2022.

O país se tornou tão perigosa para os cristãos ativos em compartilhar o amor e a mensagem de Jesus que o nome verdadeiro de Shekhar, cidade natal ou foto poderia colocar ele e sua família em sério risco.

Shekhar conheceu após receber uma Bíblia de presente. Ele conta que a levou para casa e ficou surpreso com a mensagem simples de João 3:16.

“Fiquei pensando nesse versículo”, lembra ele. “Quando li o livro inteiro, descobri que Jesus Cristo veio a este mundo por nossos pecados; Ele foi espancado e crucificado e foi sepultado, mas ressuscitou no terceiro dia dos mortos. Isso me fez perceber que sou um pecador – que preciso de Jesus em minha vida para minha salvação.”

Ministério

Após receber Jesus, Shekhar foi chamado para o ministério. Por servir a Deus por tanto tempo na Índia, ele está familiarizado com a perseguição em seu país.

“Sendo um líder da igreja, encontramos pessoas que nos culpam pela conversão e nos acusam de atrair pessoas com dinheiro para converter”, diz Shekhar. “Dizem que agora somos cristãos e deixamos nossos deuses para começar a seguir deuses estrangeiros. Temos que enfrentar muitos desafios – nossos parentes dizem que não vão à nossa casa e que nossos filhos não vão se casar porque mudamos de religião.”

Para o pastor Shekhar e sua família, a perseguição se tornou muito mais pessoal – e muito mais violenta. ‘Foi então que fiquei com medo’

No dia que mudou tudo, o pastor Shekhar se reuniu com alguns crentes para uma reunião de oração. Durante essas reuniões, eles adoravam a Deus e oravam, liam e meditavam em passagens das Escrituras. Eles também oravam e jejuavam pela cura e libertação dos enfermos.

Isso não era novidade para o pastor Shekhar. Seu ministério foi amplamente voltado para esses tipos de pequenas reuniões nas casas das pessoas, principalmente quando as pessoas queriam cura ou conforto.

Mas neste dia, algo mudou.

“Enquanto estávamos orando, os policiais vieram”, diz o pastor Shekhar. “Eles pararam a reunião e começaram a nos ameaçar.

“Foi nesse momento que percebi que nosso tempo de perseguição chegou.”

Ele diz que sempre soube que uma perseguição significativa e violenta poderia acontecer, porque Jesus falou sobre isso para seus discípulos. Então, quando a polícia interrompeu a reunião de oração, ele ficou com medo, mas conseguiu enfrentar a situação com coragem.

“Estava um pouco assustado com esta situação por dentro, mas resisti corajosamente e não fugi. Os policiais apreenderam nossas Bíblias e livros e nos ameaçaram; então eles nos disseram para ir à delegacia.”

‘Fiquei com medo’

Assim que chegaram à estação, Shekhar percebeu que a verdadeira perseguição ainda não havia começado. Ele e os outros crentes foram perseguidos, espancados e torturados.

“Foi então”, diz Shekhar, “que fiquei com medo”.

Ele conta que foram abusados ​​por horas na delegacia – e Shekhar, como pastor do grupo, foi separado dos outros e levado para a sala onde os prisioneiros comiam. Lá, ele foi brutalmente torturado.

Os policiais bateram nas costas e nos pés de Shekhar com bastões de bambu, relata a Portas Abertas. Eles lhe deram um tapa tão forte na cabeça que seus tímpanos estouraram. Eles o interrogaram, exigindo saber se ele estava pagando hindus para se converterem ao cristianismo.

Quando ele negou as acusações, eles o espancaram mais. “Eu estava com dor intensa, inchaço, tristeza, medo e ansiedade depois disso”, diz o pastor Shekhar.

Mas mesmo no horror, o pastor Shekhar sentiu-se próximo de Jesus. “Fiquei assustado quando fui torturado, espancado e maltratado pelas pessoas, mas no meio disso, lembrei-me das promessas de Deus: Ele prometeu não nos deixar órfãos, mas nos guardará e nos sustentará”.

O objetivo dos oficiais era assustar tanto o pastor Shekhar que ele fugisse da área. Eles finalmente o libertaram com um aviso de que, se ele e sua família não saíssem, seriam presos.

Sem ajuda das autoridades

O pastor foi à polícia para registrar queixa do que havia acontecido com ele, na esperança de que outros policiais pudessem investigar o ataque. Mas, em vez de ajudá-lo, as autoridades simplesmente repetiram o ultimato: sair ou então.

Sem opção, o pastor e sua família fizeram as malas e fugiram de sua cidade. Mesmo abandonando o local, os efeitos do ataque continuam para a família.

“Estou cheio de dor depois de lembrar desse incidente”, diz o Shekhar. “Eu cresci para ser mais cauteloso e vigilante agora sobre minha pregação e ensino na sociedade; também estou preparado para outro incidente como este.”

“Foi o maior desgosto da minha vida deixar minha igreja e todos os membros para trás”, diz ele. “Saí daquele lugar chorando. Fiquei triste por muitos dias, e [ainda] me sinto desanimado quando penso nisso.”

O ataque também atingiu financeiramente o pastor Shekhar e sua família, principalmente pelas altas despesas médicas por causa dos espancamentos.

‘Fortes na Palavra’

Mesmo precisando sair de sua comunidade, a família não estava sozinha. “Nós permanecemos fortes como os profetas de antigamente”, afirma.

Quando os parceiros da Portas Abertas souberam do que aconteceu com o pastor Shekhar e os outros crentes, eles se juntaram à família para oferecer apoio imediato – graças às suas ofertas e orações.

Eles passaram a receber ajuda médica, mantimentos e assistência de aluguel para a família enquanto reconstruíam suas vidas. “Naquele momento de tristeza, podíamos sentir você como uma família ao nosso lado para orar o tempo todo”, compartilha o pastor Shekhar.

Foi um vislumbre da Igreja global em ação – uma família de Deus, unindo-se em oração e dando para ajudar irmãos e irmãs que perderam tudo.

“Minha vida também estava incapacitada naquela época, e estávamos preocupados e cansados. Eu tinha fé e crença, mas não tinha forças para me manter sozinho. Você cuidou de mim como um pássaro ferido e me deu força e coragem suficientes para ficar de pé sozinho, e é por isso que estou de pé hoje.”

Graças à ajuda e orações, o pastor Shekhar e sua família continuam pregando Jesus em meio aos desafios na Índia por meio de seu ministério. “Todos vocês oraram por nós e nos ajudaram, e estou cheio de gratidão do fundo do meu coração”, diz ele.

“Quando seguimos o Senhor depois de deixar tudo, nossos parentes, vizinhos e muitas pessoas vêm e nos perseguem”, diz o pastor Shekhar. “Mas Jesus diz que a pessoa que sofre por Ele é bem-aventurada (Mt 5:10). Somos presos e brutalmente espancados e torturados, mas permanecemos fortes como os profetas da antiguidade porque somos fortes na Palavra de Deus”.

 

*Nomes alterados para proteger a identidade



Fonte: Guiame


09/08/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO