NOTÍCIAS


Pastor é morto e esposa é sequestrada por terroristas na Nigéria



Um pastor foi morto e sua esposa sequestrada por terroristas Fulani no estado de Kaduna, na Nigéria. O caso de perseguição acontece apenas duas semanas depois de radicais matarem o filho de um pastor batista no mesmo estado.

De acordo com o Morning Star News, o reverendo Musa Mairimi, líder da Igreja Evangélica Ganhando Todos, foi assassinado na sua residência na vila de Buda 2, no condado de Kajuru.

“Os pastores [fulanis] e terroristas invadiram a comunidade na quinta-feira e mataram o pastor em sua casa. Sua esposa foi levada em cativeiro sob a mira de uma arma”, relatou o presidente da Associação Cristã da Nigéria em Kaduna (CAN), reverendo Joseph Hayab.

Segundo ele, mais de 100 cristãos foram sequestrados nos condados de Kauru, Jaba, Kachia, Kagarko e Kajuru, no estado de Kaduna, que vive uma onda de ataques contra comunidades cristãs.

“A quem iremos clamar e a quem iremos pedir ajuda, exceto a Deus? Imagine que desde que a carnificina do sequestro de cristãos começou no estado de Kaduna, nenhuma prisão foi feita”, denunciou Joseph.

O morador local Istifanus Ma’aji pediu oração pela situação. “Vamos orar pelo retorno seguro da esposa do pastor e de outros cristãos capturados pelos pastores e bandidos”, disse Ma’aji.

Onda de ataques em março

O mês de março registrou dois ataques contra cristãos no estado de Kaduna, na Nigéria, realizados por pastores Fulani e outros terroristas, resultando na morte de 27 pessoas, de acordo com informações locais.

No dia 10 de março, terroristas invadiram a casa do pastor batista Dadi Babas no vilarejo de Karimbu-Kahugu, no estado de Kaduna, e mataram seu filho e sequestraram sua esposa e três outros membros da família.

Ao Morning Star News, o pastor Dadi informou que sua esposa foi libertada logo após o ataque.

“Enquanto envio esta mensagem, três membros da minha família permanecem em cativeiro com os bandidos, enquanto minha esposa foi abandonada pelos terroristas por causa de sua doença”, afirmou.

E acrescentou: “Meu filho foi brutalmente morto pelos terroristas”. De acordo com o pastor, os terroristas estão pedindo um resgate de mais de 10 mil dólares pela libertação dos outros familiares.

Perseguição em crescimento

A Nigéria liderou o mundo em cristãos mortos por sua fé em 2022, com 5.014, de acordo com a Lista Mundial da Perseguição de 2023 da Portas Abertas.

O país africano também liderou o mundo em cristãos sequestrados (4.726), agredidos ou assediados sexualmente, casados ​​à força ou abusados ​​física ou mentalmente, e teve o maior número de casas e empresas atacadas por motivos religiosos.

Como no ano anterior, a Nigéria teve o segundo maior número de ataques a igrejas e pessoas deslocadas internamente.

Na lista dos países onde é mais difícil ser cristão, a Nigéria subiu para a sexta posição, sua classificação mais alta até o momento, em comparação com a sétima posição do ano anterior.

“Militantes do Fulani, Boko Haram, Província do Estado Islâmico da África Ocidental (ISWAP) e outros conduzem ataques a comunidades cristãs, matando, mutilando, estuprando e sequestrando para resgate ou escravidão sexual”, observou o relatório da Portas Abertas.

“Este ano também viu essa violência se espalhar para a maioria cristã ao sul da nação… O governo da Nigéria continua a negar que isso seja perseguição religiosa, então as violações dos direitos dos cristãos são realizadas com impunidade.”

De acordo com um relatório recente do Grupo Parlamentar de Todos os Partidos do Reino Unido para a Liberdade Internacional ou Crença (APPG), os Fulani, predominantemente muçulmanos, são compostos por centenas de clãs de várias linhagens diferentes, que não possuem visões extremistas. No entanto, há alguns grupos de Fulani que aderem à ideologia islâmica radical. Os Fulani contam com milhões de pessoas na Nigéria e no Sahel.

“Eles adotam uma estratégia comparável ao Boko Haram e ISWAP e demonstram uma clara intenção de atingir os cristãos e símbolos poderosos da identidade cristã”, afirma o relatório do APPG.

Líderes cristãos na Nigéria acreditam que os ataques de pastores às comunidades cristãs no Cinturão Médio da Nigéria são motivados pelo desejo de tomar à força as terras dos cristãos e impor o Islã, já que a desertificação tornou difícil para os pastores sustentarem seus rebanhos.



Fonte: Guiame


30/03/2023 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
ADORA TOP