NOTÍCIAS


“Nossa moeda é a fé”: Como uma igreja impediu que um templo virasse um restaurante


Um templo histórico estava prestes a se tornar um restaurante de luxo na capital de Jersey, uma ilha localizada entre a Inglaterra e a França. Até que a “fé” foi a moeda que manteve o prédio para a glória de Deus.

O templo que hoje abriga a Missão Cristã Portuguesa em Jersey ficou fechado por quase 10 anos e estava à venda por 1 milhão de libras esterlinas (equivalente a R$ 6,2 milhões). A igreja tinha um caixa de apenas 2 mil libras e a moeda da fé. De forma milagrosa, os administradores do prédio entregaram o templo à Missão sem nenhum custo.

“Nossa moeda não é a libra, a nossa moeda é a fé. Quando cremos, vemos a manifestação da glória do Senhor”, disse em entrevista ao Guiame o pastor Elias Caetano, líder sênior da Missão Cristã Portuguesa em Jersey há 13 anos.

Como já explícito em seu nome, a Missão Cristã atua entre os portugueses em Jersey, que representam cerca de 10% da população da ilha.

O pastor Elias começou seu contato com os portugueses ao ser enviado a Portugal, para servir como pastor de uma igreja na cidade de Faro, em 1997. Ali, Deus confirmou em seu coração o seu chamado para alcançar portugueses — isso se fortaleceu após seu casamento com Vanda, que é portuguesa.

Assista o testemunho completo:

“Certa vez, uma senhora de Jersey pediu ajuda porque tinha um filho com problema de toxicodependência. Ela era católica e muito religiosa, mas não tinha nenhum apoio prático e começou a buscar alternativas. Alguém falou da nossa igreja em Faro, onde faríamos o retiro ‘Encontro com Deus’”, relatou Elias.

Aquela senhora foi profundamente tocada por Deus durante o retiro —  e isso mudou toda a trajetória do pastor Elias. “Ela me disse: pastor, o senhor precisa ir para Jersey. Há muita gente precisando lá!”

Um tempo depois, Elias fez uma viagem a Inglaterra e acabou visitando Jersey. “Eu só tive tempo para fazer refeições. Entre a minha chegada e a saída, eu fiquei o tempo todo atendendo pessoas. Ela tinha marcado com todos que queriam orações”, lembra.

Elias continuou visitando a ilha e um pequeno grupo de novos convertidos foi se chamando. Entendendo o chamado de Deus, o pastor e sua família se mudaram para Jersey em 2009. 


Fachada da Missão Cristã Portuguesa em Jersey. (Foto: Marcos Paulo Correa/Guiame)

“Há cerca de 10 mil portugueses vivendo em Jersey e até aquele momento ainda não havia nenhum testemunho evangélico de língua portuguesa na ilha”, observa. “Viemos com a palavra de Deus e a bênção do meu pastor, mas sem os recursos”.

O milagre do templo

O templo, localizado em Saint Helier, capital de Jersey, já foi um dos principais prédios usados para reuniões do governo, além de ser um local de cultos cristãos. No entanto, por ter hoje mais de 170 anos de construção, o prédio estava se deteriorando.

“Certo dia, a antiga igreja inglesa que existia aqui estava reunida e um pedaço de vidro caiu a um metro de distância do pregador. Não houve problemas, mas poderia haver. Por isso, o governo interditou o prédio, mas a igreja não tinha condições de fazer a reforma necessária, que custaria cerca de 1 milhão de libras”, relata Elias.

O templo ficou fechado por mais de 10 anos. Nesse período, ele se tornou um “listed building”, ou seja, passou a fazer parte do patrimônio histórico de Jersey e precisava das aprovações do governo para o processo de reforma ou venda.

O antigo pastor voltou para a Inglaterra e os membros se dispersaram, indo para outras igrejas da ilha. 


Púlpito da Missão Cristã Portuguesa em Jersey. (Foto: Marcos Paulo Correa/Guiame)

Em meio a este processo, a Missão Cristã Portuguesa teve a oportunidade de começar a se reunir em uma das salas do templo, que não estava interditada — já que apenas a área principal do templo tinha problemas estruturais.

Até que, em um dia de oração, o pastor Elias se deparou com a visita de três compradores, juntamente com o corretor de imóveis. Eles já haviam fechado o negócio e iriam transformar a igreja em um restaurante de luxo, mantendo parte original da estrutura.

“Naquele momento, eu fiquei irado no espírito e comecei a orar: ‘Senhor, não é possível um local de adoração virar um restaurante. Senhor, nós somos aqui agora uma igreja. Só não temos dinheiro, mas já temos um povo. Não deixe que esse templo vire um restaurante, que continue sendo usado para a Sua glória’”.

Deus tem a provisão

Apesar de haver um acordo entre os compradores, o governo de Jersey ainda não havia liberado as documentações. Foi nesse momento, em junho de 2012, que o pastor Elias notou que era hora de agir. “Deus me deu uma estratégia de pedir uma reunião com os administradores do patrimônio da igreja”, disse.

Na reunião, o pastor recebeu uma nova estratégia de Deus: apresentar a eles três argumentos: primeiro, nós temos fé. Segundo, os homens de nossa igreja, que trabalham em construção civil, irão doar sua mão de obra. Terceiro, esse prédio foi consagrado para a glória do Senhor e podemos continuar usando para esse propósito.

Os administradores da igreja cancelaram a venda, mas não disseram nada. Em outubro de 2013, veio a resposta. “Até aquele momento, continuamos tendo as mesmas 2 mil libras no caixa”, disse o pastor Elias.


Pastor Elias no templo da Missão Cristã Portuguesa. (Foto: Marcos Paulo Correa/Guiame)

Na reunião com os líderes do templo, Elias foi direcionado por Deus a responder “sim” a todas as perguntas que seriam feitas. “Em nenhum momento, eles perguntaram quanto tínhamos em caixa. Eles apenas disseram: já que deram o parecer favorável a todas as perguntas, peguem o dinheiro que vocês têm e, em vez de nos passarem, usem para as obras. O templo será de vocês e não precisarão nos pagar nada.”

Impacto na ilha

Depois que o templo foi entregue à Missão Cristã Portuguesa, foi iniciado um novo processo: foi mais de um ano de reformas, com o apoio de toda a liderança e membros da igreja, que trabalharam de forma voluntária.

O templo foi reinaugurado em fevereiro de 2014, em uma cerimônia que fez história no país. “Recebemos o primeiro-ministro de Jersey, o representante da rainha da Inglaterra, o deão da ilha da Igreja da Inglaterra, e pastores da ilha. Os jornais noticiaram o que houve. Foi um marco, um testemunho”, lembra Elias.

Além disso, os próprios moradores da ilha viram a reinauguração da igreja com grande alegria. 

“Nós recebemos postais, ofertas e pessoas que nunca vimos foram impactadas. Alguns nos escreveram dizendo: ‘Nós orávamos para que esse templo voltasse a ser uma igreja’”, relata o pastor. “Outros nos procuraram dizendo que se casaram e que foram batizadas na igreja. Vimos pregadores que já ministraram lá e até mesmo os antigos membros”.

“Um templo que seria 1 milhão de libras só para entrar, chegou em nossas mãos por zero libras. Foi um grande milagre”, celebra o pastor Elias.



Fonte: Guiame


13/01/2023 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO