NOTÍCIAS


Médico que fazia abortos se arrepende após ouvir pregação: “Não podia mais continuar”



O arrependimento pela realização de abortos por profissionais de saúde não é incomum. Esse é o caso do Dr. Vansen Wong, que trabalhou por décadas como ginecologista.

Além de trazer bebês à vida, o médico também realizou centenas de abortos no primeiro trimestre logo no início de sua carreira.

Mas esse é o passado do Dr. Wong, que passou por uma transformação espiritual, após abraçar a fé cristã e se tornar um ativista pró-vida. Nessa condição, ele faz oposição à Proposição 1 da Califórnia, que acrescentaria o direito ao aborto à constituição do estado.

Explicações sobre a prática do aborto

Em entrevista ao Faithwire da CBN, Wong falou sobre seu trabalho anterior como médico de aborto. Ele disse ao que era principalmente uma decisão financeira, pois ele realizava abortos em clínicas noturnas entre outras práticas médicas.

“Eu via isso como uma prestação de serviço”, contou Wong. “Eu disse a mim mesmo: ‘Bem, o aborto é legal neste país, por lei, nossa empresa de saúde tem que fornecer serviços de aborto, e tem que ser alguém da nossa especialidade. E se eu não ajudar nessa causa, isso vai recair sobre algumas pessoas.’”

Sendo um dos poucos médicos que realizam abortos na região, Wong disse que simplesmente acreditava que estava prestando um serviço às mulheres e queria ser compassivo na forma como ele prestava esse atendimento.

Sua experiência com o aborto em relacionamentos anteriores também o fez sentir que teria sido hipócrita tomar uma posição firme contra isso.

O médico falou que, ainda assim, sabia o que realmente estava acontecendo durante os procedimentos e argumentou que a maioria dos profissionais que os executam entendem completamente o que é necessário e o que está acontecendo.

“Antes de fazer um aborto, você precisa fazer um ultrassom para avaliar com precisão o quão longe está a gravidez dessa mulher – qual é o tamanho do bebê?” ele disse. “Porque, se você estiver errado, e ela não estiver grávida no útero ou estiver muito avançada, coisas ruins podem acontecer.”

Wong falou especificamente de “complicações graves” para as mulheres se os médicos perderem uma gravidez ectópica ou outras situações complexas.

Erros

Apesar de entender o que estava acontecendo, Wong diz que levou tempo para perceber que suas ações estavam erradas.

Isso só aconteceu após ele se tornar cristão, ele disse que passou por um “processo” até perceber que “as pessoas são infinitamente valiosas [e] feitas à imagem de Deus”.

“Ele nos tricotou no ventre de nossa mãe. Ele tem planos incríveis para nós. Eu realmente não entendi inicialmente”, disse ele. “Fazer abortos era errado.”

O ponto de partida para a transformação de Wong sobre o aborto aconteceu quando uma paciente de 18 anos, de quem ele cuidava, morreu repentinamente após o parto.

Ele diz que essa “tragédia que está além das palavras” o deixou profissionalmente devastado ao lidar com a terrível perda e seu potencial impacto em sua carreira. Até hoje, ele diz que não entende completamente o que aconteceu com ela, mas que isso o levou a prestar atenção em Deus.

Acordo com Deus

O Dr.Wong conta que enquanto lutava para lidar com aquela tragédia também temia perder o emprego, Então ele “fez um acordo com Deus”.

“Eu orei, ‘Deus, se você puder me tirar dessa bagunça, eu serei seu’”, ele lembrou. “E foi assim que me tornei cristão.”

Após sua situação profissional ser resolvida, Wong precisou lidar com uma emocional, o que o levou para encontrar Jesus – e parar de realizar abortos. Sua vida mudou drasticamente quando ele começou a frequentar a igreja, e Deus começou a trabalhar em seu coração.

Ele diz que foi um sermão sobre aborto por nascimento parcial – um processo que muitos comparam ao infanticídio – que mudou seu modo de pensar.

“Quando cheguei ao ponto em que sabia… que não podia mais continuar [a fazer abortos] foi a única vez que nosso pastor falou sobre aborto”, disse Wong. “E isso foi durante o período em que a proibição do aborto por nascimento parcial estava sendo discutida.”

Enquanto o pregador descrevia o “procedimento bárbaro”, Wong pensou nos abortos precoces que realizou e começou a traçar paralelos.

“Isso me fez perceber: ‘Deus, você está me dizendo que o aborto é errado’”, disse ele. “E dentro de um curto período de tempo, enquanto caminhava de volta para o estacionamento, percebi que o que estava fazendo com meu pequeno tubo de plástico não era menos bárbaro do que as pessoas que estavam fazendo esses abortos parciais estavam fazendo.”

Ativista pró-vida

A partir dali, Wong passou a se manifestar contra a Proposição 1 para ajudar as pessoas a entender a natureza terrível do aborto.

“A primeira proposta é uma emenda constitucional que diz que o aborto e os contraceptivos são um direito de todos os californianos”, disse Wong. “O problema é que o aborto não é definido da mesma forma que foi definido em lei. Então, na lei, a definição de aborto é até o ponto de viabilidade fetal.”

“O problema com esta Proposição 1 é que ela liberaria quaisquer limites na viabilidade fetal, e até mesmo os defensores do movimento pró-escolha dizem que há um problema aqui”, explicou.

O debate sobre o que a medida faria na viabilidade fetal tem muitos críticos profundamente preocupados, assim como Wong.

“Potencialmente, isso significaria que qualquer mulher poderia optar por acabar com a vida de seu bebê literalmente até o momento em que ela entra em trabalho de parto”, disse ele.



Fonte: Guiame


07/11/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO