NOTÍCIAS


Líderes cristãos e políticos derrotam liberação da maconha em 3 estados americanos



Os resultados das eleições de meio de mandato nos EUA ainda não foram concluídos, mas já trouxeram uma consequência para a indústria da maconha, que sofreu um grande revés. Os eleitores de três estados rejeitaram a campanha para expandir o uso recreativo de maconha.

Classificada pelo The Washington Stand como uma disputa de David vs. Golias, o embate se deu entre as empresas de maconha contra uma ampla coalizão de líderes cívicos e religiosos, que acabou prevalecendo.

Os possíveis distribuidores de maconha responderam por mais de 85% dos US$ 23 milhões gastos nos cinco estados que votaram pela legalização da droga na terça-feira, de acordo com uma análise da Associated Press. Os distribuidores de maconha parecem ter perdido três dos cinco referendos estaduais.

Os três estados que voltaram atrás sobre a legalização do uso recreativa são: Arkansas, Dakota do Norte e Dakota do Sul.

Arkansas

Os eleitores do Arkansas rejeitaram a edição 4, que legalizaria “produtos de cannabis para uso adulto” vendidos em comércios registrados, informa o The Washington Stand.

“Proteja o Arkansas da grande maconha”, disse a oposição, liderada pelo Comitê de Ação do Conselho da Família do Arkansas.

Os líderes que se manifestaram contra a edição 4 incluíram o governador Asa Hutchison (R), que liderou a Drug Enforcement Administration sob o presidente George W. Bush; o ex-vice-presidente Mike Pence, os senadores norte-americanos Tom Cotton e John Boozman (que foi reeleito na terça-feira); a governadora eleita Sarah Huckabee Sanders; a Ordem Fraternal de Polícia; e uma coalizão de líderes religiosos que vão de batistas do sul a católicos.

“O abuso de drogas prejudica as famílias e rouba as pessoas de seu potencial dado por Deus”, disse Sonny Tucker, diretor executivo da Convenção Estadual Batista do Arkansas. Os materiais que se opõem à iniciativa, produzidos pelo Comitê de Ação do Conselho de Família do Arkansas, incluíam “Uma Visão Cristã” do uso recreativo de drogas.

“A Bíblia tem inúmeras advertências contra a embriaguez. Estar cheio do Espírito leva a mais autocontrole, mas usar maconha leva a menos autocontrole e perda de inibições. Veja: Gal 5:22-23”, diziam os materiais antidrogas.

A maconha “entorpece nosso senso de urgência sobre o que os discípulos de Cristo deveriam fazer” e “torna mais difícil para eles verem sua necessidade de Cristo. Veja: Marcos 13:32-37.”

Com 85% dos votos apurados, os eleitores do Arkansas reverteram o referendo por uma margem de 13%: 56% a 43%.

Dakota do Norte

Os eleitores rejeitaram a Medida 2, que legalizaria a posse de pouco mais de 28 gramas de maconha por qualquer pessoa com mais de 21 anos. A proposta ainda permitiria que os residentes do estado possuíssem duas plantas de maconha em sua casa.

A medida 2 perdeu por 10 pontos percentuais, 55% a 45%. Esta foi a segunda vez que os eleitores rejeitaram a maconha recreativa. Anteriormente, medida semelhante falhou durante as eleições de meio de mandato de 2018.

“A maconha não se tornará outra grande tabacaria em Dakota do Norte”, disse o Dr. Kevin Sabet, da Smart Approaches to Marijuana, que chamou a segunda rejeição de “histórica” e “decisiva”.

Por conta de duas rejeições, classificadas como retumbantes, os organizadores da legalização em Dakota do Norte disseram que provavelmente não voltarão com a proposta pela terceira vez.

Dakota do Sul

O estado deve rejeitar uma medida para legalizar a “posse, uso e distribuição” de até 30 gramas de cannabis, bem como “parafernália de maconha” para qualquer pessoa no estado a partir dos 21 anos. Já são 687 delegacias de relatórios do estado em que a medida está perdendo por seis pontos percentuais.



Fonte: Guiame


10/11/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO