NOTÍCIAS


Líder terrorista do Hezbollah ameaça Israel: “O estado judeu deixará de existir”



O líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, ameaçou Israel dizendo que “se o conflito estourar, o estado judeu deixará de existir.

Em um discurso televisionado marcando 17 anos desde o fim da Segunda Guerra do Líbano, o chefe do grupo terrorista xiita, apoiado pelo Irã, afirmou que as forças armadas de Israel gradualmente “enfraqueceram desde a derrota que supostamente sofreu em 2006”.

“Depois de 17 anos de tentativas, preparação e desenvolvimento, os israelenses não conseguiram restaurar a imagem de seu exército”, disse ele de acordo com a agência de notícias Al-Mayadeen.

Provocações e ameaças

Para Nasrallah, o exército israelense hoje está em “sua pior forma na história”, ele disse ao se referir aos avisos dos principais oficiais das FDI de que a prontidão militar foi prejudicada por protestos de reservistas contra a revisão judicial do governo.

Nasrallah então abordou a ameaça do Ministro da Defesa, Yoav Gallant, na semana passada, de que Israel “fará o Líbano retornar à Idade da Pedra” se houver uma guerra.

“Você também retornará à idade da pedra”, disse Nasrallah em resposta. Ele disse que seriam necessários “alguns mísseis de alta precisão” para o Hezbollah destruir alvos, incluindo aeroportos civis e militares, bases aéreas, usinas de energia e o reator nuclear de Dimona.

Conforme o The Times of Israel, os comentários do líder do Hezbollah ocorreram em meio a um recente aumento na atividade do grupo terrorista ao longo da fronteira, em incidentes que Israel vê como provocações deliberadas, incluindo a construção de duas tendas, no lado israelense da Linha Azul, que é reconhecida pelas Nações Unidas na área de Mount Dov.

O grupo apoiado pelo Irã mais tarde derrubou uma das tendas, enquanto ameaçava atacar se Israel tentasse desmantelar a outra.

Outros incidentes

Outros incidentes recentes incluíram membros do Hezbollah camuflados caminhando ao longo da fronteira em violação a uma resolução da ONU, e ativistas do Hezbollah cruzando a Linha Azul (embora não a cerca da fronteira israelense) em várias ocasiões, incluindo tentativas de danificar a cerca da fronteira e o equipamento de vigilância do exército.

Israel e Líbano não têm fronteira formal devido a disputas territoriais, no entanto, eles obedecem amplamente à Linha Azul. A linha é marcada com barris azuis ao longo da fronteira e fica a vários metros da cerca israelense em algumas áreas, construída inteiramente dentro do território israelense.

Em abril, dezenas de foguetes foram disparados do Líbano contra Israel, ferindo três soldados e danificando edifícios. Embora Israel culpe o grupo terrorista palestino Hamas pelo ataque, foi visto como tendo sido realizado com a aprovação tácita do Hezbollah, que mantém controle rígido do sul do Líbano.

Sobre a “próxima guerra”

No último sábado (12), um comandante sênior do grupo terrorista libanês alertou que a próxima guerra entre Israel e o Hezbollah ocorreria na região da Galiléia de Israel.

“Nossa batalha será na Galileia, e se o inimigo e seus tanques entrarem no Líbano, eles não poderão sair”, disse o comandante em entrevista à rede de TV Al-Manar, ligada ao Hezbollah, que o identificou como Hajj Jihad, mas desfocou o rosto para a transmissão.

O Hezbollah tem sido o adversário mais potente das IDF nas fronteiras de Israel, com um arsenal estimado de quase 150.000 foguetes e mísseis que podem atingir qualquer lugar em Israel.



Fonte: Guiame


17/08/2023 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
MIX GOSPEL