NOTÍCIAS


Influencer diz que ir à igreja e ouvir sobre Jesus o salvou de cirurgia trans



Oli London é um influenciador digital britânico de 32 anos, que ficou muito conhecido através de suas redes sociais. Durante seis meses ele se identificou como trans e passou por várias cirurgias a fim de se parecer com seus ídolos pop coreanos.

Porém, um dia ele decidiu visitar uma igreja e lá ouviu Jesus dizer que não deveria viajar para a Tailândia para a realização de “cirurgias corporais irreversíveis”. 

Ele conta que estava sentado no fundo, nos últimos bancos, quando dentro dele ouviu uma voz diferente: “Pare de fazer o que está fazendo. Seja feliz com quem você é”.

‘Reflexão sobre a verdadeira identidade’

Durante uma entrevista ao programa “Triggernometry”, com os apresentadores Francis Foster e Konstantin Kisin, London revelou que começou ir à igreja e a ler a Bíblia. “Estava lendo apenas sobre os ensinamentos de Jesus”, ele contou.

Em suas redes sociais ele promovia a ideologia de gênero, mas nos bancos de uma igreja ele refletiu sobre sua verdadeira identidade e percebeu que precisava aceitar quem realmente era, conforme explicou. 

O influencer reconheceu que estava muito focado em destacar celebridades e outras influências, além de estar encorajando pessoas que sofrem de ‘dismorfia corporal’ a fazer cada vez mais cirurgias. 

Sobre a dismorfia corporal

A “dismorfia corporal” é um transtorno psicológico que faz uma pessoa se preocupar excessivamente com seu corpo, fazendo com que supervalorize pequenas imperfeições ou até imagine essas imperfeições, resultando num impacto muito negativo para a sua auto-estima.

London disse que parou de fazer “todas essas coisas malucas” porque, no final das contas, não estava se sentindo satisfeito com ele mesmo. “Nada disso me trouxe felicidade”, ele lamentou. 

“Está me prejudicando, está prejudicando outras pessoas. É o que está dentro que conta. Na verdade, me arrependi do que estava fazendo”, disse ao esclarecer que temeu por estar persuadindo outros a fazer cirurgias.

‘Insegurança, desajuste e desconforto’

“É uma responsabilidade moral”, citou ao falar que há jovens que o admiram como ele é, mas ele passou a se identificar com características coreanas e como transgênero. 

“Foram erros e agora me sinto obrigado a compartilhar publicamente os perigos de mergulhar em uma vida inteira de drogas e cirurgias por insegurança, desajuste e desconforto com a aparência física”, destacou.

Durante a entrevista, London lembrou que nos EUA as crianças são inundadas com mensagens de influenciadores ou na escola, onde ouvem que é fácil e devem tomar bloqueadores de puberdade ou fazer cirurgias de mudança de sexo.

‘Eu poderia morrer durante uma cirurgia’

“Quero encorajar as pessoas a não seguirem essas mudanças de vida em nome de  modismos. É por isso que tenho tentado fazer algum ativismo para tentar espalhar amor e positividade no mundo. Quero passar uma mensagem melhor”, disse.

London acrescentou que, ao ir à igreja e ouvir Jesus, ele foi salvo de cometer o erro de ir à Tailândia para ser castrado e fazer outras cirurgias corporais

Eu deveria ter feito mais por mim. Eu quase fui à Tailândia para fazer uma cirurgia corporal. Eu poderia ter morrido ou poderia ter um profundo arrependimento pelo resto da minha vida”, enfatizou.

‘Não me senti bem vivendo como mulher’

Em novembro, London disse que Deus o fez se aceitar, da forma como foi criado. Ele confessou ter lutado contra a dismorfia corporal e com problemas de identidade desde os 13 anos e que enfrentou bullying por causa de seu peso.

Ele conta que uma mudança para a Coreia do Sul, onde lecionou inglês em 2013, o levou a ser “bombardeado” com mensagens sobre o poder transformador da cirurgia plástica.

Isso o levou a fazer 32 cirurgias para mudar a aparência. London cresceu ateu, mas teve contato com o cristianismo quando frequentou uma escola administrada pela Igreja da Inglaterra.

Ali, ele disse ter conhecido outros jovens que sofreu  bullying, mas que buscaram aceitação por meio da fé. Mais tarde, ele entendeu que seu desejo de parecer coreano estava enraizado em seu amor pela cultura e pelo povo da Coreia do Sul.

Entre as cirurgias plásticas realizadas está uma modificação de seu queixo, elevação de pescoço, cirurgia ocular e remodelação da gordura da bochecha e osso da testa para parecer mais feminino.

No entanto, depois de inicialmente se sentir feliz com os resultados, descobriu que não se sentia bem quando começou a “viver como mulher”, usando roupas femininas e maquiagem.

Foi em agosto de 2022 que ele acordou para a sua realidade, quando entrou em uma igreja e ganhou uma Bíblia. O influencer disse que planeja ser batizado.



Fonte: Guiame


09/02/2023 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO