NOTÍCIAS


Ideologia de Gênero x Igreja: ‘Não nos curvamos às mudanças da sociedade’



“Toda a humanidade é como a relva, e toda a sua glória, como a flor da relva; a relva murcha e cai a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre”. (1 Pedro 1.24,25)

Vamos ao contexto

É muito provável que Pedro escreveu suas cartas enquanto esteve em Roma, durante um tempo de intensa perseguição aos cristãos, entre os anos de 64 a 67 da era cristã.

Ele se dirigiu aos “eleitos de Deus” e também os chamou de “peregrinos”, pois estavam espalhados por diversas cidades. O apóstolo tinha a intenção de levar esperança através de suas palavras, já que os cristãos estavam sendo provados em sua fé. 

Quando Pedro disse: “Sejam santos em tudo o que fizerem” [1 Pe 1.15], ele se referia a uma vida ética e de acordo com a vontade de Deus — com amor sincero e estilo de vida puro.

E quando Pedro compara a humanidade à relva e às flores, ele estava dizendo que a nossa vida aqui é breve — tão breve que não vale a pena arriscar-se, afastando-se do Criador. 

O que Pedro disse serve para os dias de hoje?

Pedro disse palavras eternas, tanto é que os versículos que estamos estudando estão no livro de Isaías 40.6-8. Ou seja, Pedro estava citando o Velho Testamento — Isaías disse as mesmas palavras cerca de 800 anos antes de Pedro. Quer dizer que as palavras de Pedro são válidas até os dias de hoje. 

Então, quando a atual geração questiona se a Bíblia é realmente válida para este tempo, a resposta é “sim” e não há cultura capaz de julgar a palavra de Deus

“É a Bíblia que deve julgar a cultura e não o contrário”, enfatizou o pastor Hernandes Dias Lopes durante uma live com o pastor Augustus Nicodemus. Os dois concordam que embora sejamos “cidadãos nesta terra”, não devemos nos curvar às mudanças da sociedade. 

“Os cristãos devem erguer suas vozes e alertar as autoridades. Os reformadores já diziam que somos a ‘consciência do Estado’ nesse sentido”, lembrou Hernandes. 

Os dois apontam para a necessidade de reivindicar princípios nas leis — valorização à vida, dignidade da família e do casamento entre homem e mulher. 

Se posicionar de acordo com a Bíblia não é desobedecer o governo. “Entendemos, historicamente, que isso pavimenta o caminho do progresso e do bem estar da nação”, citou Hernandes.

A Igreja já sobreviveu a várias ditaduras

Ao tocar num assunto delicado, mas necessário nos dias atuais, os pastores falaram sobre a Ideologia de Gênero que já se transformou na “Ditadura LGBT”. 

Nicodemus lembra que a Igreja sobreviveu até mesmo à ditadura do Império Romano, que promoveu uma intensa perseguição física aos cristãos. Atualmente, porém, o Brasil vive uma onda de ditaduras ideológicas. 

A ideia da existência de diversos gêneros, além do masculino e feminino, não é uma exposição de ideias, mas uma imposição, além de bater de frente com os “princípios eternos e imutáveis de Deus”.

Quando Nicodemus fala sobre os princípios bíblicos, ele também explica o motivo pelo qual tanta gente refuta a Bíblia, entre eles o fato de ser um livro que guarda “os traços da cultura da época em que foi escrita, no Antigo Oriente”. 

Costumes mudam, valores não!

Porque o livro mais novo da Bíblia foi escrito há mais de 2 mil anos, muitos julgam se tratar de um conteúdo ultrapassado e inválido para esta era. Nicodemus esclarece: “Claro que levamos isso em consideração, mas estamos falando da revelação de Deus. Seus princípios eternos e imutáveis são válidos para todas as épocas e culturas”.

A forma como a Bíblia é explicada pode sofrer alterações. As pregações podem ser contextualizadas para que as pessoas entendam os princípios e valores, porém, esses princípios e valores nunca poderão ser alterados. 

Há certos comportamentos descritos na Bíblia que mudam de acordo com a cultura, mas são casos bem específicos. Por exemplo, os irmãos deveriam saudar uns aos outros com um ósculo santo, um beijo, mas hoje em dia podemos dar um abraço ou um aperto de mão. 

Hernandes lembrou do uso do véu para as mulheres: “O véu tinha uma representatividade no Antigo Oriente, mas no Brasil não tem significado nenhum em nossa cultura”. Porém, esse é um tema sobre usos e costumes. Quando se trata de temas morais e comportamentais, a história é outra. 

Princípios eternos e imutáveis

Quando a Bíblia fala contra a homoafetividade, muitos julgam se tratar da cultura daquela época. “Tem respaldo moral e teológico e não é uma questão de expressão cultural, por isso serve para todas as épocas”, disse Nicodemus.

O pastor lembrou que o discurso da ideologia de gênero tem afirmado que “o sexo é biológico, mas o gênero pode ser definido pela sociedade ou por uma decisão pessoal”. Ou seja, que o sexo é fluído e que pode variar de acordo com a vontade da pessoa. 

“Temos que nos amar como Deus nos fez. Se eu nasci homem, eu vou me amar como homem. Não vou impor o que considero que sou, subjetivamente, em termos de gênero, ao meu corpo biológico. Isso seria uma violência ao meu corpo”, continuou ao enfatizar que “não dá para ser um cristão bíblico e adotar a ideologia de gênero”. 

Sobre a homofobia no meio cristão

Nicodemus lembrou que, infelizmente, muitas igrejas, pastores e cristãos têm se comportado com atitudes de homofobia. 

Mas, o que realmente é homofobia? “É rejeitar não só o comportamento e o conceito da prática homossexual, mas a pessoa que o pratica, tratando-a de maneira indigna e insultando-a”, respondeu Nicodemus.

“Todos precisam e carecem da graça de Deus. O Evangelho é para todos. Os cristãos precisam refletir sobre isso à luz das Escrituras”, reforçou Hernandes e citou a experiência de Paulo na cidade de Corinto. 

“Muitos membros da igreja de Corinto vieram de uma prática homoafetiva, era algo comum para eles. E quando foram para a igreja, convertidos a Cristo, deixaram aquela prática”, lembrou Hernandes. 

‘Tudo posso, mas nem tudo me convém’

Paulo deu uma relação de comportamentos contrários à ética bíblica: 

“Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus”. (1 Coríntios 6.9,10)

Mas, em seguida, ele também explicou que aquelas pessoas já haviam abandonado aquelas práticas para uma vida transformada:

“Assim foram alguns de vocês. Mas vocês foram lavados, foram santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de nosso Deus. Tudo me é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas eu não deixarei que nada domine” (1 Coríntios 6.11,12)

Nicodemus lembra que todas as pessoas são tentadas, mas o pecado se constitui na prática: “É preciso a graça de Deus para mortificar os desejos e as tentações”. 

Vale lembrar que, atualmente, está cada vez mais difícil ensinar as pessoas a manter o controle. A sociedade é hedonista — está focada em alegria e prazer. Além disso, todo mundo quer ter razão e impor suas próprias opiniões.

Isso é fruto de uma educação nacional que foi aparelhada, durante muitos anos, pela ideologia de gênero, através das escolas, universidades, cultura e meios de comunicação. 

“Sabemos que existe uma proposta política por trás disso, e que é uma questão muito maior. A ideologia de gênero faz parte de outras frentes”, disse Nicodemus ao lembrar que os militantes LGBT já bombardearam a sociedade e a mente das pessoas. 

Temos que anunciar o Evangelho

Sabendo que toda essa doutrinação começa com as nossas crianças, é essencial que elas sejam protegidas através da palavra de Deus. As questões que envolvem a ideologia transgênero precisam ser tratadas à luz das Escrituras e não das nossas opiniões. 

“Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, que não muda como sombras inconstantes”. (Tiago 1.17)

“Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu mas praticando-o, será feliz naquilo que fizer”. (Tiago 1.25)

E esse foi o estudo desta semana. Espero ter tirado sua dúvida e também colaborado para seu crescimento espiritual. Beijo no coração e até a próxima, se Deus quiser!

 

Por Cris Beloni, jornalista cristã, pesquisadora e escritora. Lidera o movimento Bíblia Investigada e ajuda as pessoas no entendimento bíblico, na organização de ideias e na ativação de seus dons. Trabalha com missões transculturais, Igreja Perseguida, teorias científicas, escatologia e análise de textos bíblicos.

* O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Você abandonou o seu primeiro amor? Lembre-se de onde caiu e volte para Deus



Fonte: Guiame


27/10/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO