NOTÍCIAS


Ex-muçulmano conta por que se converteu ao cristianismo: “Faltava Deus em minha vida”



Mohamedreza nasceu no Irã e vem de uma família que segue a religião oficial do Estado — o islamismo xiita. Porém, ele conta que sempre teve suas dúvidas quanto à sharia [conjunto de leis islâmicas] e quanto aos princípios da crença. 

“Eu tinha tudo o que precisava para viver, mas a minha grande pergunta era: Onde está Deus?”, disse ao revelar que no islamismo Deus está dentro de um contexto muito distante.

“No islamismo, deus é um horror. Ele está distante, no céu, e nós temos muito medo dele, pois quando fazemos algo de errado vamos para o inferno”, disse ao mencionar que sua mãe é uma muçulmana fervorosa, que vai à mesquita quase todos os dias. 

“Mas ela não sabe nada sobre Deus. Eles acham que temos que cumprir muitas leis para alcançar Deus ou para deixá-lo satisfeito. Por isso, percebi que alguma coisa não estava certa e não cumpria a sharia quando era muçulmano”, continuou. 

“O que vai acontecer quando conhecermos Jesus?”

O iraniano conta que, certa vez, seu sogro estava doente, com câncer no estômago, e a família tentou de tudo para curá-lo. Na ocasião, um amigo apresentou Jesus a ele.

Eu não tinha ideia de quem Jesus era. Foi quando perguntei: O que vai acontecer quando conhecermos Jesus? Meu amigo pediu para eu tentar, e se Jesus não tivesse nada de bom para fazer pelo meu sogro, eu poderia voltar para o islamismo”, lembrou. 

Eles oraram todos juntos, sentados num sofá, mas Mohamedreza reconhece que o amigo orou mais. “Nós nem sabíamos como orar”, conta ao dizer que foi sincero com Jesus, dizendo que Ele já conhecia os muçulmanos. 

“Se ele curasse meu sogro, nós o conheceríamos melhor. Oramos por um mês, depois disso ele foi operado. E, ao fazer outros exames, os médicos ficaram chocados, pois não havia mais câncer em seu corpo. Meu sogro foi curado por Jesus”, relatou. 

Realidade da perseguição

“Agora eu sei que Deus é amor, e Ele nos ama, Ele é totalmente diferente do que eu pensava. E ficamos tão emocionados que queríamos contar sobre Jesus para as outras pessoas”, disse. 

Mohamedreza se converteu ao cristianismo e passou a testemunhar sobre o que viveu aos seus amigos. “Eu não tive muito tempo para convencer meus amigos do trabalho sobre o que vivi, pois havia um espião entre nós”, contou. 

“No Irã, a cada 5 pessoas, 1 é espiã. Se você disser algo que o governo não queira ouvir, você está em grande perigo”, disse ao explicar que o espião o ameaçou. “Mas eu ignorei, eu não o levei a sério”, lembrou. 

Os encontros entre os cristãos aconteciam no apartamento do amigo e Mohamedreza participava dos cultos e das orações, querendo aprender mais sobre Jesus. 

Preso e interrogado

Por estar sedento pela Palavra e não controlar seus impulsos, Mohamedreza atraiu a atenção da liderança no país. “No Irã existe uma entidade pública [SEPA] que tem o apoio do ditador aiatolá Ali Khamenei”, ele contou.

Aiatolá é o maior título na hierarquia religiosa entre os muçulmanos xiitas. No islamismo xiita, a figura do aiatolá é considerada como a de maior importância, pois representa o máximo de conhecimento religioso dentro da doutrina islâmica. 

“Ele é o líder supremo do Irã e tem muito mais poder que o exército ou a polícia”, disse ao explicar que os religiosos querem dominar o país para sempre. O cristão iraniano explicou que “eles pensam que os cristãos são perigosos e uma ameaça ao governo deles”. 

Por isso, ao ser descoberto em sua nova crença, Mohamedreza foi preso pela SEPA. “Colocaram um saco de pano preto em minha cabeça e me levaram de carro até uma sala para um interrogatório”, contou ao dizer que permaneceu dois dias ali, sempre com o pano sobre a cabeça, sem comer ou beber nada e sendo espancado. 

“Jesus preparou um caminho”

“Sabendo que eu iria morrer, eu disse que era muçulmano e não cristão. E eu não sentia que estava fazendo nada de errado. Disse a Jesus que precisava de ajuda”, contou ao revelar que o amigo cristão tinha um amigo no SEPA e que informou sobre ele.

Depois disso, eles o colocaram num carro, rodaram por volta de 2 horas e depois o jogaram para fora, todo machucado. Ele retirou o saco preto da cabeça, conseguiu um táxi e voltou para casa. 

Depois disso, o amigo cristão o procurou e disse que ele precisava sair do país com urgência. “E Jesus preparou um caminho para nos ajudar a sair”, contou. 

“Entreguei todas as minhas preocupações para Jesus porque Ele pode fazer tudo o que imaginamos”, disse ao contar que levou alguns meses para chegar até a Alemanha. 

“As coisas que perdi não são tão importantes, porque em troca eu encontrei um Deus bom. Jesus me dá tudo de novo. Não tem problema que eu tenha perdido meu carro, trabalho, dinheiro, meus pais e tudo o que eu tinha. O que faltava era Deus na minha vida”, explicou.

Muitos dizem que nós encontramos Jesus, mas na verdade Jesus nos encontrou, ele nos escolheu e agora podemos nos aproximar Dele. Só temos que permanecer firmes e fiéis em nossa fé”, disse. 

“Agora podemos cantar e dançar para Jesus. Podemos orar e renovar nosso relacionamento com Ele”, finalizou ao pedir orações pelos muçulmanos. “Eles precisam conhecer Jesus. Por favor, orem por eles. ”. 



Fonte: Guiame


11/08/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO