NOTÍCIAS


Ex-bruxa diz que Halloween não é inofensivo: “É repleto de rituais demoníacos"



Jenny Weaver, uma ex-bruxa que esteve envolvida no ocultismo por nove anos até ser resgatada por Jesus, está alertando que o Halloween não é inofensivo e está ligado a rituais demoníacos.

“O que os pais pensam é uma coisa de um dia, não é uma coisa de um dia. É apenas uma porta aberta que permite que crianças, adolescentes e até adultos, dizerem: ‘Se permitirmos este dia, então é permitido horóscopos, filmes de terror, feitiçaria e cristais de cura em vez de invocar o nome de Jesus”, afirmou Weaver, ao Charisma News.

Vestir fantasias, distribuir doces e esculpir lanternas de abóboras não é uma tradição inocente dos Estados Unidos. 

Festival pagão

O halloween tem raízes em um antigo festival pagão do norte da Europa, chamado originalmente de “Samhain”. O dia 31 de outubro marcava o fim do verão e o início do outono e se acreditava que neste dia o mundo dos mortos era aberto e os espíritos visitavam a terra.

“Está tudo impregnado de rituais demoníacos“, advertiu Jenny. Na época, as pessoas se fantasiavam para se disfarçar e se proteger dos espíritos. E as abóboras serviam para espantá-los.

Durante o festival, eram oferecidos alimentos e sacrifícios de animais aos espíritos malignos, que eles acreditavam que vinham do mundo dos mortos. Hoje, esses sacrifícios são representados pelos doces do Halloween. 

“Os policiais e o Serviço de Emergência podem dizer que [o Halloween] é o dia em que eles têm mais sequestros de crianças e assassinatos. Por alguma razão, neste dia, as pessoas na polícia sabem que algo está acontecendo”, afirmou Jenny.

A ex-bruxa aconselhou os pais a não se preocuparem em serem “legais” e que eles devem se sentir bem ao não deixarem seus filhos participarem do Halloween.

Envolvimento na bruxaria

Durante sua juventude, Jenny se envolveu na bruxaria, buscando escapar de traumas familiares.

“Quando jovem, eu me meti em algumas coisas muito profundas e sombrias. Eu estava em uma família abusiva, então o espírito de rejeição tomou conta da minha vida e eu estava procurando por aceitação”, contou Weaver.

Ela acabou se envolvendo com más amizades, que a influenciaram a se tornar uma bruxa. “Elas me convidaram para assistir a um filme chamado ‘The Craft’ que era sobre quatro bruxas da Wicca no ensino médio e elas tinham todo esse poder. Eu assisti o filme e decidi que queria fazer isso”, relatou.

Jenny passou a morar com outra bruxa. Juntas, elas faziam feitiços, usavam drogas, davam festas e invocavam espíritos para possuírem seus corpos.

Após nove anos vivendo escrava das trevas, Jenny encontrou Jesus e foi libertada para a luz. “Deus me deu um propósito e me libertou em um momento”, testemunhou.



Fonte: Guiame


17/10/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO