NOTÍCIAS


“Estamos nos últimos dias há 2.000 anos e próximos do arrebatamento da Igreja”, diz pastor



Em meio aos caos que o mundo vive na atualidade, com tantas guerras em curso, o pastor Robert Jeffress da Primeira Igreja Batista em Dallas, EUA, disse que os cristãos deveriam se preparar para o fim dos tempos, mas que há também muitos equívocos sobre algumas questões proféticas.  

Em entrevista ao Christian Post, Jeffress, que é autor do livro “Estamos Vivendo no Fim dos Tempos? Respostas Bíblicas para 7 perguntas sobre o Futuro”, disse que, tecnicamente, não estamos vivendo no fim dos tempos mas, de acordo com a Bíblia, estamos nos últimos dias”.

Estamos nos últimos dias há 2.000 anos e acho que podemos argumentar que estamos próximos do arrebatamento da Igreja”, disse ao enfatizar que “não devemos tentar adivinhar quando Jesus voltará, mas temos que perceber que Ele voltará, e que devemos nos preparar”. 

‘Temos que promover o Evangelho’

Para o pastor Jeffress, os cristãos precisam vestir as “roupas espirituais corretas” — essa é a metáfora que ele usa para dizer que a Igreja deve se preocupar com a justiça de Cristo acima da sua própria justiça. 

“Existem duas roupas diferentes que podemos escolher usar para encontrar o Senhor. Podemos usar as vestes da nossa própria justiça e das nossas boas obras, mas a Bíblia diz que isso não passa de um trapo imundo aos olhos de Deus. Ou podemos escolher estar vestidos com a justiça de Jesus Cristo. E é isso que significa se tornar um cristão”, resumiu.

O autor do best-seller lembrou que Deus se fez pecado por nós, para que Nele pudéssemos nos tornar justiça de Deus: “Essa transformação é a essência da fé cristã, onde os crentes são vistos como irrepreensíveis diante de Deus, não através das suas próprias ações, mas através do amor sacrificial de Jesus Cristo”. 

“Essa é a primeira coisa que devemos entender para ter certeza de que somos cristãos salvos e que seremos bem-vindos na presença de Deus”, disse. Em segundo lugar, Jeffress exortou os cristãos a trabalharem incansavelmente para promover o Evangelho. 

Fanatismo, fatalismo e cinismo

“Precisamos fazer o trabalho enquanto ainda é dia, porque a hora está chegando. Está chegando a noite em que nenhum homem poderá trabalhar. O fato de Cristo regressar deve motivar cada cristão e cada igreja a partilhar o Evangelho com o maior número de pessoas possível e o mais rapidamente possível”, alertou. 

O pastor ainda disse que os equívocos em torno do fim dos tempos prevalecem nas denominações cristãs e nas perspectivas sobre o assunto. Ele identificou três atitudes predominantes: fanatismo, fatalismo e cinismo, cada uma representando um perigo único para a compreensão cristã do evento. 

“O fanatismo está tentando definir a data para o arrebatamento ou para a segunda vinda de Cristo, vendo um significado profético em cada manchete de jornal. Mas, Jesus foi muito claro em Mateus 24 e 25. Ninguém sabe o dia ou a hora da volta do Senhor, por isso precisamos estar prontos em todos os momentos”, enfatizou. 

“O fatalismo é o lugar mais perigoso para os cristãos pousarem, pois é a crença de que Jesus realmente voltará, mas que não precisamos fazer nada de diferente em nossas vidas”, disse ainda. 

O pastor destaca que os cristãos devem entender que a Bíblia não separa as profecias da vida cotidiana e que as pessoas devem ter uma conduta santa e piedosa.

Já o cinismo é a crença de que “as pessoas têm dito há milhares de anos que Jesus voltará, mas Ele nunca voltou”, ou seja, é tratar o Evangelho como se ele não fosse real. 

“Precisamos perceber que o tema das Escrituras é consistente: Jesus está voltando e nós precisamos estar prontos”, simplificou Jeffress que dedicou grande parte de sua carreira acadêmica e pastoral ao estudo da escatologia. 



FONTE: GUIAME


11/04/2024 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @HTTPS://WWW.INSTAGRAM.COM/OFICIALDESTAKGOSPEL/

NO AR:
Ao Vivo - DESTAK GOSPEL