NOTÍCIAS


Esposa e filho são suspeitos de matar ex-hindu que se tornou cristão



O ex-hindu Madhab Gorai, de 46 anos, foi visto por membros da igreja pela última vez em 7 de agosto, quando sua esposa e filho interromperam o início de um culto e o ameaçaram, contou Ashish Hansda, líder leigo encarregado da Igreja do Norte da Índia (CNI).

A esposa de Gorai estava com uma garrafa de gasolina e seu filho carregava um bastão de madeira, disse ele. Durante uma briga do lado de fora do prédio da igreja, a esposa e o filho de Gorai ameaçaram queimá-lo vivo, disse Hansda.

Após o sumiço do homem, os cristãos locais suspeitam que a família de Gorai o tenha matado por se recusar a renunciar à sua fé, disseram fontes.

Segundo relatos do pastor Subendu Soren, a esposa e o filho de Gorai o estavam pressionando a realizar rituais hindus no casamento de sua filha, onde, segundo o costume, o pai da noiva seria obrigado a adorar o fogo sagrado.

“Gorai se recusou a se envolver em práticas de adoração hindus que contradiziam sua fé cristã”, disse o pastor Soren ao Morning Star News.

Segundo um amigo próximo de Gorai, que pediu anonimato, a família dele argumentou que sua recusa em realizar os rituais hindus levantaria dúvidas que poderiam levar ao rompimento do noivado de sua filha.

Quando sua esposa e filho interromperam o início do culto de 7 de agosto, Hansda interveio, e a esposa e o filho de Gorai o levaram para casa.

“O desagrado foi criado devido à briga, e por isso não tivemos um culto na igreja naquele domingo”, disse Hansda.

Queixa policial

Ao saber do incidente, o pastor Soren aconselhou Hansda a registrar uma queixa policial sobre a família de Gorai por carregar gasolina e brigar com ele do lado de fora do prédio da igreja. Ele apresentou uma queixa no posto avançado de Ramgarh, que fica sob a delegacia de polícia de Lalgarh.

Segundo o Morning Star News, um oficial do posto avançado de Ramgarh disse que informou a delegacia de Saranga Thana sobre o incidente e enviou um voluntário para verificar a igreja no próximo domingo, 14 de agosto.

“A casa de Madhab Gorai não está sob minha jurisdição, então não tomei nenhuma ação depois que eles foram para casa”, disse o oficial ao Morning Star News.

O encarregado da delegacia de Saranga Thana disse ao Morning Star News que estava de licença durante esse período e não tinha conhecimento de morte na região.

O pastor Soren disse que nenhuma queixa formal foi registrada na delegacia de Saranga Thana.

“Nenhuma queixa formal foi registrada na delegacia de polícia por nenhum dos parentes de Madhab, embora as pessoas na aldeia soubessem da tensão em sua família sobre a fé de Madhab e tivessem sentimentos contraditórios sobre a morte súbita”, disse Soren ao Morning Star News.

Suspeitas

Como a esposa e o filho de Gorai repetidamente ameaçaram queimá-lo vivo e o levaram para casa em 7 de agosto, Hansda estava preocupado com sua segurança e visitou sua casa no final da tarde.

“A esposa de Madhab me disse que ele não estava em casa e tinha ido ao mercado”, disse Hansda. “Deixei meu número de telefone com a esposa dele e pedi que ela pedisse para ele me ligar.”

Segudo Hansda, o pastor Soren ligou às 11 horas daquela noite, informando-o de que um membro da igreja havia dito que Gorai estava morto.

No dia seguinte, quando os membros da igreja perguntaram aos familiares sobre a morte de Gorai, os parentes disseram que ele havia jantado e morrido pacificamente enquanto dormia. A família cremou o corpo naquela manhã (8 de agosto) de acordo com o ritual hindu, mas nenhum dos membros da igreja foi informado sobre isso, disse Hansda.

Hansda questionou vários vizinhos de Gorai sobre sua morte.

“Todos eles me disseram que havia tensão na família de Madhab relacionada à sua fé cristã e ouviram os argumentos da família”, disse ele ao Morning Star News. “Uma pessoa também me disse que Madhab estava sentado e conversando com ele até as 18h30, e ele estava absolutamente bem.”

Para os líderes cristãos, testemunhas oculares das ameaças e vários conhecidos na área os familiares de Gorai o mataram para evitar pôr em risco o casamento de sua filha.

“É fácil dizer que o pai da noiva está morto e que o irmão da noiva realizará esses rituais em sua ausência”, disse o amigo íntimo de Gorai.

Sumanta Naru, pastor da congregação da CNI na cidade de Bankuda, disse que suspeita da morte e cremação secreta do corpo de Gorai.

“Ninguém sabe como Madhab morreu”, disse o pastor Naru ao Morning Star News. “Até os vizinhos o viram pela última vez saudável. Os cristãos nem sequer foram chamados para a cremação. Eles se livraram do corpo dele assim que puderam.”

O pastor Soren disse que teme que Gorai tenha sofrido muito.

“Não sabemos o que causou sua morte, mas é certo que a família o perseguia e o pressionava a participar dos rituais hindus”, disse o pastor Soren ao Morning Star News.

Os membros da família de Gorai não se dispuseram a comentar.

Ataques a cristãos

O pastor Naru disse que Gorai colocou sua fé em Cristo vários anos atrás, depois de receber e aprender sobre o Evangelho através de um parente. Mantendo as chaves do prédio da igreja, ele seria o primeiro a alcançá-lo e abri-lo para o culto de domingo, disse o pastor.

“Madhab era um cristão sincero. Ele ajudou de todas as formas possíveis a contribuir e servir a igreja”, disse o pastor Naru.

O tom hostil do governo da Aliança Democrática Nacional, liderado pelo partido nacionalista hindu Bharatiya Janata, contra não hindus, encorajou extremistas hindus em várias partes do país a atacar cristãos desde que o primeiro-ministro Narendra Modi assumiu o poder em maio de 2014, os direitos religiosos dizem os defensores.

A Índia está em 10º lugar na lista mundial da perseguição de 2022, da Portas Abertas, como dos países onde é mais difícil ser cristão. O país era o 31º em 2013, mas sua posição piorou depois que Modi chegou ao poder.



Fonte: Guiame


26/09/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO