NOTÍCIAS


Curador da alma: a preocupação de Abraão com o futuro de Isaque



Quando Avraham (Abraão) procura uma esposa para seu filho Yitzchak (isaque), ele chama ninguém menos que seu leal servo de confiança, Eliezer. Eliezer foi um dos principais soldados, ajudando Avraham durante sua batalha para resgatar Lot (Ló). Eliezer foi considerado por Avraham como seu herdeiro aparente até que Hashem o informou sobre o próximo nascimento de Yitzchak. Eliezer foi apelidado de aquele que extraiu e regou da Torah de seu mestre. Simplificando, a Torah nos informa constantemente que Eliezer era o braço direito de Avraham.

Antes de enviar Eliezer, a Torah nos diz que “Avraham disse a seu servo, o ancião de sua casa, que estava no comando completo de cada uma das posses de Avraham, para jurar que não levaria uma garota de Canaã para Yitzchak. Eliezer jurou em nome de Hashem, o Mestre do céu e da terra” (cf. Gn 24:3).

Avraham instruiu sua ajuda mais confiável para obter a shiduch (companheira) adequada para Yitzchak. Ele deveria voltar para a cidade natal de Avraham. A garota tinha que vir da família certa. Ela deve ter sido criada em um ambiente adequado. E Avraham avisou a Eliezer que Yitzchak não deveria deixar a Terra de Canaã. Sua carga foi forte. Ele fez seu servo de confiança jurar. Ele usou uma linguagem forte. “Cuidado – cuidado! Para que você não leve meu filho para lá! (Gn 24:6)

A reiteração da Torah sobre a posição doméstica de Eliezer neste contexto é desconcertante. A justaposição – a glorificação da posição de Eliezer como “o ancião de sua família, que estava no comando completo de cada uma das posses de Avraham” contraditória com o severo escrutínio e pressão que Avraham colocou sobre ele em referência aos requisitos matrimoniais de Yitzchak? Se Avraham confiava em Eliezer para todas as suas posses mundanas, por que ele o fez jurar neste caso? E se ele tivesse que jurar em relação a Yitzchak, então por que defini-lo aqui como “o ancião de sua casa, que tinha total responsabilidade sobre cada uma das posses de Avraham”? O fato de ele ter que xingar não é uma evidência óbvia de que ele, de fato, não estava no comando?

O rabino Yisrael Lipkin de Salant, o fundador do movimento mussar, certa vez se hospedou em uma pousada. A pousada estava lotada e o estalajadeiro percebeu que estava com pouca carne. Vendo um judeu distinto e de aparência piedosa com barba, o estalajadeiro se aproximou de Reb Yisrael.

“Talvez você seja um shochet? Veja, estou ficando sem carne e devo abater uma vaca. Reb Yisrael foi pego de surpresa. “Eu adoraria ajudar”, ele gaguejou, “mas infelizmente não sou um abatedor ritual.

Na manhã seguinte, o rabino Lipkin abordou o estalajadeiro. “Tenho uma grande oportunidade de negócio. Se você investir algumas centenas de rublos comigo, posso garantir um bom retorno.”

O homem olhou interrogativamente para o rabino. “Reb Yid”, ele gaguejou. “Eu mal te conheço! Como você espera que eu invista com você? Dê-me algumas referências e tantos dias, e deixe-me verificar o negócio em sua totalidade. Então podemos nos encontrar e eu tomarei minha decisão.

“Ahá!”, exclamou o grande luminar mussar. “Ontem mesmo, você estava prestes a confiar em mim o ritual de abate de sua vaca. Você ia alimentar seus convidados com aquela carne com base na aparência do meu vestido e barba. No entanto, você não investiria alguns rublos pelos mesmos motivos. Alguém não deveria tratar seu ceticismo espiritual no mesmo nível que suas incertezas financeiras?”

O Be’er Mayim Chayim explica: a Torah declara especificamente, no contexto das admoestações de Avraham, que Eliezer “era o ancião da casa de Avraham, que estava totalmente encarregado de cada uma das posses de Avraham”.

Ao comprar ações e títulos, ao investir em imóveis, ao comprar eletrodomésticos ou móveis, Eliezer tinha rédea solta. No entanto, quando se tratava do futuro de Yitzchak, essa estima não era suficiente. Avraham fez Eliezer jurar em nome de Hashem que traria uma esposa adequada para Yitzchak. A preocupação de Avraham com a espiritualidade e seu futuro não estava de forma alguma no mesmo nível que ele tinha para suas necessidades mundanas. É verdade que Eliezer estava totalmente encarregado de cada uma das posses de Avraham. Mas quando se tratava do futuro de Avraham, quando se tratava de decisões espirituais, até Eliezer era suspeito. Pois quando se trata de suas necessidades espirituais, seu único administrador nunca pode se tornar o administrador de sua alma.

Tradução: Mário Moreno.

Por Rav. Mário Moreno, fundador e líder do Ministério Profético Shema Israel e da Congregação Judaico Messiânica Shema Israel na cidade de Votorantim. Escritor, autor de diversas obras, tradutor da Brit Hadasha – Novo Testamento e conferencista atuando na área de Restauração da Noiva.

*O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Recebendo sua promessa



Fonte: Guiame


21/11/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO