NOTÍCIAS


Cristãos são presos por “vender Bíblias” mesmo regularizadas pelo governo chinês



É notório que o governo chinês faz de tudo para evitar que o Evangelho continue crescendo no país. O caso de dois cristãos que correm o risco de pegar 15 anos de prisão chamou a atenção da Igreja. 

Um deles se chama Wang Honglan e o outro não foi identificado pelo Bitter Winter. De acordo com a organização, ambos vendiam Bíblias que foram impressas regularmente por uma editora autorizada pelo governo. 

Vender Bíblias “impressas ilegalmente” sem a autorização do governo é crime na China e os cristãos estavam cientes disso e seguiam as leis à risca. Embora não houvesse motivo para acusá-los de crime algum, o Partido Comunista Chinês (PCC) conseguiu encontrar uma desculpa. 

Lei é distorcida para prender cristãos

De acordo com o PCC, se o chinês que está vendendo uma “Bíblia legalmente impressa” fizer parte de uma igreja doméstica não autorizada, a venda da Bíblia se torna ilegal.

Honglan e outros cristãos que vivem na cidade de Honhot, região autônoma da Mongólia, souberam dessa “distorção da lei” em abril de 2021 quando foram presos e acusados de “operar negócio ilegal”. 

Desde então, uma batalha legal foi iniciada quando o caso foi para julgamento em 17 de janeiro de 2022, no Tribunal Popular do Distrito de Huimin, um dos quatro distritos de Hohhot. Os advogados recém-nomeados alegaram que não tiveram tempo suficiente para estudar o caso. 

‘Risco de pena de prisão’

No dia 28 de março, um pedido de oração foi distribuído entre as igrejas domésticas. A próxima data para julgamento está marcada para o final de abril. 

Até agora, sabe-se que o promotor está buscando uma pena de prisão de 15 anos para Wang e penas menores para os outros réus.

Wang é acusado de ter sido o mentor de um “negócio ilegal”. Os réus alegam que todas as Bíblias foram impressas com autorização do governo em Nanjing e que, no caso deles, sequer houve algum lucro e que eles não tinham “um negócio”. 

Os cristãos explicaram que coletaram ofertas de outros crentes e as usaram para comprar Bíblias e entregá-las a cristãos que mal podiam pagar por elas. No entanto, eles agora correm o risco de passar longos anos na prisão “por vender Bíblias legais, de forma ilegal”.



Fonte: Guiame


05/04/2023 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
ADORA TOP