NOTÍCIAS


Cristãos levaram 5 mil judeus da Ucrânia para Israel: “Queremos concretizar as profecias”



A crise humanitária provocada pela guerra na Ucrânia levou sofrimento a 43 milhões de pessoas no país. No meio desse contingente, os judeus na ucranianos estão enfrentando uma ameaça existencial, o que está levando cristãos a expressar seu amor pelo povo escolhido de Deus, ajudando-os a fugir do perigo.

Antes da Rússia invadir o país, a população judaica da Ucrânia era estimada em cerca de 200.000, a quarta maior comunidade judaica da Europa e a décima primeira maior do mundo.

A comunidade judaica da Ucrânia remonta a 1.000 anos, mas o país foi atormentado por surtos de antissemitismo violento, com a pior fase durante o domínio da União Soviética. Em alguns casos, a guerra atual exacerbou o ódio aos judeus, aumentando a situação dos judeus que permanecem no país devastado pela guerra.

A organizações cristãs se empenharam para ajudar nesse esforço, que foi liderado por Kenneth Copeland Ministries e Eagle Mountain International Church (EMIC), com sede na cidade de Tarrant County em Newark, Texas. Eles fizeram parceria com o Keren Hayesod – UIA (United Israel Appeal) e a Agência Judaica para Israel para trazer refugiados judeus ucranianos para Israel.

Embora Israel tenha historicamente ajudado judeus em perigo, ajudar tantos é uma tarefa assustadora para um país tão pequeno. Contar com a ajuda de cristãos tem sido fundamental.

Julie Sironi, a Israel and Jewish Liaison da EMIC, explicou como isso aconteceu.

“Começamos interessados ​​em ajudar com o retorno profético dos judeus exilados a Israel”, disse Sironi ao Israel365 News, descrevendo seus esforços para ajudar 50 judeus da França a fazer Aliyah em 2020.

Movimentações e resgates

Em 2021, o ministério levou 110 judeus da Ucrânia para Israel, oferecendo apoios como moradia por um ano e participação em programas sociais. Na época, eles não sabiam que uma guerra estava prestes a estourar.

“Há tantas maneiras de abençoar Israel”, disse Sironi. “Em 2021, o pastor Teri Pearsons me disse para ir a Israel para descobrir onde o dedo de Deus está apontando para ajudar. Desta vez, a missão me encontrou”.

Em fevereiro de 2022, a Rússia invadiu a Ucrânia.

“Quando a guerra começou, sentimos que Deus nos deu a oportunidade de fazer parte do resgate de judeus da Ucrânia”, disse Julie. “Realmente aumentamos nossos esforços para ajudar a Aliyah desde o início da guerra.

Contatado em fevereiro por Sam Grundwerg e Shmulik Fried, presidente mundial e diretor da Divisão de Israel no Keren Hayesod–UIA, Sironi atendeu ao pedido: eles queriam saber se poderiam contar com o apoio da EMIC em uma crise.

Assim que a guerra estourou, a EMIC forneceu imediatamente US$ 2,7 milhões para ajudar alguns dos primeiros aviões de refugiados a sair. Sironi esteve em Israel no dia 15 de março para receber os mais de 120 refugiados em nome da EMIC.

Os refugiados receberam apoio na fronteira, com hotéis e outras necessidades, enquanto aguardavam os preparativos do Keren Hayesod e depois voos para Israel.

EMIC e KCM continuam seu compromisso de ajudar pelo menos outros 3.000 judeus a irem da Ucrânia para Israel. No domingo, 27 de março, em sua igreja local e por meio de seu ministério online, US$ 4 milhões foram arrecadados, tudo isso destinado aos judeus ucranianos, diz o Israel365 News.

Recursos

Segundo Sironi, até o momento o ministério arrecadou mais de US$ 9 milhões para ajudar a salvar a comunidade judaica da Ucrânia.

“Não posso falar por todos os cristãos, mas somos um ministério sem proselitismo que acredita que devemos amar o que Deus ama, e Deus claramente ama Israel”, disse Sironi. “A terra de Israel é a sua terra e os judeus são o seu povo da aliança.”

Outro esforço desse tipo foi liderado por Yael Eckstein, CEO da Irmandade Internacional de Cristãos e Judeus. Ela explicou ao Israel365 News que sua organização tem ajudado os cristãos a ajudar os judeus por quase 40 anos.

“Estamos focados em concretizar a realidade profética da reunião do povo judeu”, disse ela. “Muito disso está trazendo judeus da Ucrânia e da antiga União Soviética, então, por muitos anos, fizemos isso em parceria com a Agência Judaica. Desde que a guerra estourou em 2014. A irmandade tem operado lá de forma independente.”

Quando mais de 100.000 soldados russos estavam parados na fronteira, a ajuda aos judeus ucranianos ficou clara para a liderança da Irmandade. O grupo estabeleceu operações em Kyiv três dias antes do início da guerra para processar os pedidos.

“Tivemos o primeiro voo em massa da Aliyah para fora da Ucrânia dois dias antes do início da guerra e o primeiro voo após o início da guerra da Moldávia”, disse Eckstein. “Desde o início da guerra, a irmandade distribuiu mais de US$ 29 milhões. É incrível e Deus abençoe nossos doadores.”

Comunidade judaica

A comunidade judaica dentro da Ucrânia é majoritariamente idosa, segundo Eckstein, por isso precisa de ajuda com necessidades básicas. A Irmandade fornece pacotes de alimentos, água potável e remédios. Eles também realizaram visitas domiciliares quando os moradores precisaram de evacuação.

O pai de Yael, o rabino Yechiel Eckstein, estabeleceu a Irmandade em 1983 para promover o entendimento e a cooperação entre judeus e cristãos e construir amplo apoio ao Estado de Israel. Nesse sentido, a Irmandade tem sido bem-sucedida. Yael descreveu o apoio esmagador a Israel e aos judeus que ela testemunha quando se conecta com os doadores.

“É simplesmente incrível”, disse ela ao Israel365 News. “Eles me dizem que se sentem honrados por poder ajudar o povo judeu. Eles veem isso como uma oportunidade de salvar vidas de judeus que estão em perigo”.

Graças aos doadores cristãos, a Irmandade levou mais de 5.000 judeus da Ucrânia para Israel desde o início da guerra.



Fonte: Guiame


21/11/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO