NOTÍCIAS


Cristãos fazem culto após tiroteio em escola de Nashville: ‘Nosso conforto está em Jesus’



O Domingo de Ramos é uma data especial para o cristianismo, lembrado pela entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, conforme o relato dos quatro Evangelhos.

Após a tragédia na Covenant Presbyterian School of Nashville, uma escola particular cristã, muitos foram aos cultos abalados pelo tiroteio do dia 28 de março, quando uma mulher de 28 anos entrou no prédio armada com rifles e uma pistola, matando três crianças e três adultos.

Mesmo abalados os pastores tentaram oferecer consolo aos que procuravam respostas para perguntas sem solução, após o ataque violento.

“Se uma semana como esta me ensina alguma coisa, é que hoje é o dia de acreditar”, disse o pastor sênior Scott Sauls à sua congregação na Igreja Presbiteriana de Cristo (Christ Presbyterian Church), que está realizando funerais para três das seis vítimas.

“Nenhum de nós está garantido amanhã, muito menos na próxima hora”, disse Saul. “O único conforto que existe na vida e na morte, para o corpo e a alma, é que pertencemos ao nosso fiel salvador Jesus Cristo.”

Saul acrescentou que a promessa do Evangelho não reduz a dor e o sofrimento. Ele também reconheceu que as Escrituras têm limitações quando se trata de responder à pergunta do porquê: “Por que esta criança? Por que essa amada educadora e esposa e mãe e avó?”

Semana Santa

No domingo seguinte ao ataque, que marcou o início da semana mais solene e sagrada do cristianismo, o pastor George Grant, líder presbiteriano local com conexões com a escola e a Igreja Presbiteriana Covenant adjacente, afirmou que a tragédia não poderia e não deveria ser evitada.

“Temos que nos envolver com o que aconteceu”, disse ele à Associated Press alguns dias após o tiroteio. “A Bíblia nos chama a chorar com os que choram, a chorar com os que choram e assim faremos.”

Após o incidente, Grant e outros líderes religiosos decidiram reservar parte de seus cultos de Domingo de Ramos para o luto comunitário.

“Qualquer pastor ou pregador que estiver de pé em um púlpito neste fim de semana está fazendo isso como um curador ferido”, disse o bispo católico de Nashville, J. Mark Spalding, que acredita que estar em comunidade é fundamental neste momento. “Em tragédias e desastres, muitos de nós podemos nos isolar, o que não ajuda tanto na cura quanto no alcance.”

No Domingo de Ramos, assim como durante os funerais das vítimas, os membros da igreja se reuniram para lamentar os mortos: as três crianças de 9 anos – Evelyn Dieckhaus, Hallie Scruggs e William Kinney – além de Katherine Koonce, 60 anos, diretora da escola, Mike Hill, 61 anos, zelador e Cynthia Peak, 61 anos, professora substituta.

Juntos no Domingo de Ramos, e entre os funerais das vítimas, os membros de sua igreja lamentaram os mortos: as três crianças de 9 anos – Evelyn Dieckhaus, Hallie Scruggs e William Kinney – e Katherine Koonce, 60, a diretora da escola; Mike Hill, 61, um zelador; e Cynthia Peak, 61, professora substituta.

Embora não seja possível entender o que não tem sentido, Grant disse que o cristianismo oferece uma mensagem de esperança ainda mais pronunciada no Domingo de Ramos, que marca o relato bíblico da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém antes de sua crucificação e ressurreição.

“O Domingo de Ramos nos dá a linguagem e o paradigma para entender que, embora esta tragédia seja sem sentido e aflitiva, ainda assim há esperança. Há luz para a escuridão”, disse Grant, pastor da Igreja Presbiteriana Paroquial em Franklin, uma cidade na periferia sul de Nashville. “Há motivos para abraçarmos as alegrias e também as tristezas da estação.”

É uma mensagem que ele acha que pode curar os membros da igreja de coração partido do Presbiteriano Paroquial que estão tentando processar o que aconteceu. Vários fiéis pertenceram a ambas as igrejas. O próprio Grant é amigo dos líderes do Covenant Presbyterian e também serviu como o primeiro professor adulto da escola dominical da igreja há cerca de 30 anos.

‘Culto difícil’

Na manhã fria e ensolarada, os membros da igreja caminharam em direção à igreja em Franklin. Eles trocaram cumprimentos antes de entrar. Alguns reservaram um momento para perguntar sobre o bem-estar dos outros após a semana difícil.

“Essa é difícil”, disse Kim Goff. Ela explicou que, como Parish faz parte do mesmo presbitério que o Covenant, “o que os afeta nos afeta”.

Ela precisava do Domingo de Ramos, que permite o luto com alegria. “Esta é a nossa esperança”, disse Goff. “Esta é a razão de estarmos aqui.”

O Covenant Presbyterian também celebrou o Domingo de Ramos, mas seu culto foi realizado em um local alternativo fechado para a mídia, e não no prédio que inclui a escola situada no topo de uma colina com vista para o bairro de Green Hills em Nashville, disse Molly Sudderth, porta-voz do Covenant.

Junto com a mensagem central de esperança do Domingo de Ramos em meio à devastação, a comunidade do Covenant permaneceu no centro do primeiro serviço matinal da Igreja Presbiteriana. Grant começou reconhecendo que “esta foi uma semana muito difícil” e continuou pregando sobre a história de Jesus ressuscitando Lázaro dos mortos e o Salmo 118, enfatizando como os horrores podem ser enfrentados com fé.

“Vivemos em um mundo onde a injustiça, onde o caos ou horrores como nossos filhos indo para a escola em um belo dia de primavera … e se deparam com um cenário de pesadelo”, disse ele à congregação. “Você está com raiva? Você deveria estar. Jesus ficou. … Você chora com os que choram? Você deve. Jesus chorou.”

Antes do encerramento do culto, eles novamente oraram pelas vítimas e suas famílias, mencionando o nome de cada, enquanto muitos na fileira de cadeiras brancas dobráveis seguravam folhas de palmeira frescas, cujo suave aroma de terra pairava no ar.

Encorajar a congregação

Na Igreja Batista de Woodmont, localizada a alguns quilômetros da escola, o coral infantil tem praticado canções como “Hosana” e outras para uma apresentação no Domingo de Ramos, disse o pastor Nathan Parker.

Woodmont Baptist serviu como um local de reencontro para os pais e alunos do Covenant após o tiroteio, uma tarefa que os fiéis aceitaram humildemente, disse Parker.

No culto de domingo, Parker planejou encorajar sua congregação a refletir sobre a promessa incondicional de Deus de salvá-los de seus pecados e da morte toda vez que ouvirem a palavra “aliança”. Devido às circunstâncias decorrentes do tiroteio, ele afirmou que ele e sua equipe decidiram não realizar cultos na Semana Santa este ano.

“Ninguém precisa do ‘show’ esta semana”, disse Parker. “Nesta Semana Santa, eles precisam da verdadeira esperança que vem através do Evangelho”.

Do outro lado da rua, na Woodmont Christian Church, o reverendo Clay Stauffer, que era pastor de uma das jovens vítimas e atendia a vários alunos do Covenant que sobreviveram, se comprometeu a celebrar o Domingo de Ramos enquanto também ajudava a família de sua igreja e a comunidade de Nashville a se curar.

“A morte e a escuridão nunca têm a palavra final”, disse Stauffer na sexta-feira antes de presidir o funeral de Evelyn Dieckhaus. “Somos pessoas da ressurreição e, portanto, temos que lembrar que, por mais horrível e terrível que tenha sido, há muito bem e muita luz vindo disso.”

Stauffer afirmou que não tem receio de abordar questões políticas relacionadas ao tiroteio, porém acredita que há tempo para isso mais tarde. Não tenho todas as respostas sobre isso, mas acho que tudo o que estamos fazendo não parece estar funcionando”, disse ele.

Ele diz ter certeza de uma coisa: “Precisamos da Páscoa este ano. Precisamos da Páscoa.”



Fonte: Guiame


03/04/2023 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
CONECTADOS COM DEUS