NOTÍCIAS


Biden alerta sobre ‘Armagedom' nuclear e pastor explica: “Não é o Armagedom bíblico”



O Pr. Greg Laurie falou sobre o termo ‘Armagedon’ vinculado a um possível embate nuclear, com potencial para ocorrer com base em declarações do presidente dos EUA, Joe Biden e do presidente da Rússia, Vladimir Putin.

As principais manchetes citadas pelo líder da Harvest Christian Fellowship em Riverside, Califórnia, dizem:

“Biden adverte sobre armagedom nuclear”

“Putin isolado em bunker”

“EUA estocam drogas antirradiação”

O pastor lembra que, quando menino na escola durante a “crise dos mísseis cubanos”, fazia exercícios para escapar de um eventual ataque de bomba atômica.

Hoje, 60 anos depois, Laurie cita notícia da agência AP News que traz a seguinte manchete com base em declarações de Biden:

“O risco de ‘Armagedom’ nuclear está no nível mais alto desde a crise dos mísseis cubanos de 1962, enquanto autoridades russas falam da possibilidade de usar armas nucleares táticas depois de sofrer reveses maciços na invasão de oito meses da Ucrânia.”

“Sempre que um líder mundial, muito menos um presidente dos EUA, usa a palavra ‘Armagedom’, notamos”, diz Laurie.

O presidente americano continuou dizendo que “não enfrentamos a perspectiva do Armagedom desde Kennedy e a crise dos mísseis cubanos”. Ele sugeriu que a ameaça de Putin é real “porque suas forças armadas estão – você pode dizer – com desempenho significativamente abaixo do esperado”.

Outro componente que esquenta o debate é porque “os EUA acabaram de gastar US$ 290 milhões em medicamentos antirradiação. A ameaça não está sendo descartada”.

Armagedom

O pastor disse que a notícia sobre o isolamento de Vladimir Putin em um bunker e cada vez mais paranoico e nervoso à medida que seu exército sofre derrota após derrota em sua guerra contra a Ucrânia também coloca lenha nessa fogueira.

“Os líderes mundiais estão levando isso a sério. Nós também devemos. Mas isso é potencialmente Armagedom? A resposta curta: não”, diz Laurie.

Ele explica que, para a maioria dos cristãos, “Armagedom” é frequentemente usado para descrever a batalha apocalíptica final que a humanidade enfrentará um dia. E mostra que a origem da palavra é hebraica “Har-Magedone”, que significa “Monte Megido”, o local onde a batalha está prevista.

“Os cristãos devem entender que isso não pode ser um Armagedom bíblico, não importa o que aconteça com as ameaças de Putin. Essa é uma série específica de batalhas travadas no final do que a Bíblia chama de ‘o período da grande tribulação’ que durará sete anos. É inaugurado com o surgimento do Anticristo e termina com o retorno de Jesus Cristo”, diz.

Riscos de conflito nucelar

O pastor diz é que importante orar para que um embate de alto risco não se concretize. “Vamos todos orar juntos para que tal coisa nunca aconteça. Mas e se você soubesse que um míssil nuclear estava chegando e só tivesse mais alguns momentos de vida?”.

Ele lembra um aviso falso feito no Havaí, em 13 de janeiro de 2018, fez com que o povo de Oahu, buscasse refúgios seguros. “Seus telefones vibraram com este aviso sinistro: ‘Ameaça de míssil balístico entrada ao Havaí. Busque abrigo imediato. Isso não é um treino.’”

“As pessoas no Havaí esperaram sem fôlego por 37 longos minutos antes de serem informadas de que era um alarme falso. A explicação oficial é que o botão errado foi pressionado durante uma mudança de turno”, explicou o pastor.

Fé em Jesus

Laurie usa o comportamento de uma amiga que estava em Oahu como modelo, caso algo nesse sentido aconteça:

“Shelly, uma amiga nossa, que estava em Oahu no momento do alerta de emergência, reagiu com calma por causa de sua profunda fé em Jesus Cristo. Ela nos mandou uma mensagem depois que a liberação foi dada. Após o alerta de emergência, seus vizinhos correram para sua casa na costa norte de Oahu e perguntaram o que fazer. Shelly escreveu: ‘Orei com eles e disse que a primeira coisa que precisamos fazer é ter certeza de que sabemos para onde estamos indo quando deixarmos esta terra!’

O pastor diz que um dia, uma ameaça real surgirá – ela pode ser nuclear ou pessoal. “Pode ser um ataque cardíaco ou um acidente de carro. Uma coisa é certa: ninguém sai daqui vivo”.

Para ele, todos devemos saber para onde estamos indo. “Somente aqueles que estão preparados para morrer estão prontos para viver”, diz.

O pastor aproveita para pregar a mensagem de salvação eterna:

“Dois mil anos atrás, Jesus Cristo, o próprio Filho de Deus, veio ao nosso planeta e morreu na cruz por todos os nossos pecados. Ali, pendurado naquela cruz, Ele carregou todos os pecados do mundo, inclusive os seus, e morreu em seu lugar. Então, três dias depois, Jesus ressuscitou. A morte morreu quando Cristo ressuscitou”.

“Se deixarmos nossos pecados e crermos Nele, podemos saber que passaremos a vida após a morte no céu. Com esse conhecimento, estamos preparados para dar a mesma resposta de esperança a outra pessoa”, afirma.

Laurie diz que não há como escapar das realidades da vida e da morte, mesmo em um lugar tão bonito quanto o Havaí. “Um dia, não será um alarme falso. Nada é mais importante do que se preparar para qualquer emergência que surja em seu caminho. Oro para que nossos líderes, da Casa Branca para baixo, estejam fazendo tudo o que podem para diminuir esse conflito imediatamente”, afirmando que “para o resto de nós, é vital que saibamos onde passaremos a eternidade.”



Fonte: Guiame


10/10/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO