NOTÍCIAS


Ateu se converte após ser livrado da morte ao clamar a Deus: "Se o Senhor existe, me salve”



Vitalii Glopina se descrevia como ateu até o dia em que três membros de uma gangue russa foram enviados para matá-lo. Ele conta que, no momento em que um deles tentou esfaqueá-lo, algo extraordinário aconteceu.

“Eles ficaram pálidos. Eles estavam tremendo. O que estava com a faca a jogou no chão e eles fugiram. Naquele momento, eu sabia que havia um Deus, pois eu havia acabado de orar”, confessou sobre seu momento de desespero.

De acordo com o God Reports, Vitalli relatou sobre seu ateísmo durante a gravação do podcast de Virginia Beach Potter’s House. Ele se dizia ateu por conta da grande decepção de perder a irmã. O pastor americano, Michael Ashcraft, escreveu sua história dando detalhes sobre sua conversão. 

Sobre a morte da irmã

Vitalli e sua família viviam na Ucrânia. Ele e a irmã gostavam de colher cogumelos e, num certo dia, ele pediu para que ela saísse mais cedo do trabalho para que eles pudessem ir juntos.

Ela saiu e naquela noite foi sequestrada. Quando foi encontrada estava muito ferida e foi levada às pressas para um hospital, onde ficou entre a vida e a morte por dois dias.

Durante esse período, Vitalli disse que implorou a Deus pela vida da irmã, mas ela acabou morrendo. Daquele dia em diante, ele se afastou totalmente de Deus, o culpando pela grande perda. “Eu me senti responsável por sua morte”, contou. 

Caminhos tortuosos

Triste e decepcionado, aos 18 anos, Vitalli começou a beber, usar drogas e a buscar dinheiro fácil através de crimes. Ao se juntar com uma gangue da máfia russa, ele passou a lucrar bastante, até se tornar um dos líderes. 

Ele conta que sempre foi um excelente aluno, até se tornar um gênio da tecnologia. Porém, começou a usar seu dom de forma errada — Vitalli chegou a codificar todas as portas das salas de aula e podia invadir até os escritórios do colégio. 

Quando se formou no ensino médio, conseguiu uma bolsa de estudos para a Romênia, onde aprenderia cibernética. Com essa nova perspectiva de vida, ele decidiu ficar sóbrio e tentar uma nova vida.

Dívida com a máfia russa

A promessa de Vitalli, de ficar sóbrio e ter uma vida melhor, porém, só durou 3 dias. Ele reencontrou um traficante da máfia e voltou aos velhos hábitos — usar drogas e roubar carros para desmontá-los e vender as peças através de uma empresa de fachada.  

Apesar de ganhar muito dinheiro na vida ilícita, ele conta que não conseguia dormir em paz e que o peso da culpa pela morte da irmã o perseguia. 

Na tentativa de buscar um alívio, ele bebia tanto e usava tantas drogas que chegou a sofrer três overdoses. Em uma delas, foi parar no hospital, na véspera de Natal, onde confessou aos funcionários do hospital onde guardava as drogas.

Os policiais foram chamados e logo invadiram o local e ele perdeu uma grande quantia em mercadorias, o que o levou a ter uma enorme dívida com a máfia.

Clamando a Deus

Os mafiosos não perdoaram o deslize de Vitalli. Seus “amigos” se tornaram seus carrascos e ele passou a trabalhar fazendo tarefas intermináveis, até se cansar da exploração implacável e ameaçar ir à polícia. 

A ameaça, porém, não resolveu seu problema. Ele foi espancado e levou dois dias para se recuperar. Vitalli conta que foi amarrado e foi quando os três homens que ele cita no início de seu testemunho entraram em cena.

Um era o assassino e os outros dois eram assistentes. “Ele era um homem sem escrúpulos e fazia apenas o seu trabalho”, descreveu o homem que se aproximou dele com uma faca na mão.

Os dois assistentes o amarraram e o assassino ergueu a faca para matá-lo. “Foi nessa hora que eu clamei a Deus. Se o Senhor existe, então me salve”, implorou.

Para sua surpresa, os assassinos que pareciam tão destemidos, instantaneamente,  ficaram pálidos e começaram a tremer. O assassino jogou a faca no chão e os três saíram correndo. 

Visão sobrenatural

O que aqueles criminosos viram? Vitalli disse que, até hoje, não faz ideia: “Naquele momento, eu só sabia que havia um Deus. E eu também sabia que havia um inferno e que eu estava indo para lá”, reconheceu.

Depois de conseguir se desamarrar, Vitalli fugiu dali todo ensanguentado e correu para uma igreja próxima, com o único desejo de confessar seus pecados. Depois voltou para casa e procurou sua Bíblia.

Algumas páginas haviam sido arrancadas para enrolar drogas e fumar. A página seguinte era de Marcos, capítulo 3. Ainda meio perdido, Vitalli foi para uma praça, onde havia um grupo cristão cantando ao som do violão e dando alguns testemunhos.

Ele conta que, na ocasião, se aproximou do grupo e perguntou para onde ele iria se morresse naquele momento. Ele contou sua história e disse que já sabia que iria para o inferno. 

Encontro com Jesus

“Mas você quer ir para o inferno?”, um dos cristãos perguntou e logo apresentou o Evangelho. “Somos todos pecadores, todos merecemos o inferno, mas Deus enviou seu Filho para morrer por nós e satisfazer os justos requisitos da lei. Se aceitarmos Jesus, podemos ser perdoados de nossos pecados e começar uma nova vida Nele”, continuou.

Vitalli conta que a Bíblia que ele anteriormente usava para enrolar e fumar drogas tornou-se o veículo para sua salvação. 

Um tempo depois, os membros da gangue da qual Vitalii fazia parte foram presos. Ele entende que todas as ações foram orquestradas por Deus.

Desde então, Vitalii passou a frequentar a igreja e, atualmente, ele é pastor. Ele pastoreou na Ucrânia, na Moldávia e agora está em período sabático em Tempe, no Arizona (EUA), até que a guerra acabe e ele seja reenviado para a Ucrânia.



Fonte: Guiame


14/10/2022 – Destak Gospel

COMPARTILHE

SEGUE A @DESTAKGOSPELFM

(21) 98232-3994

destakfm@msn.com
Rio de Janeiro

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO